Rio cria programa de esclarecimento às vítimas de violência doméstica

Trata-se de uma ação preventiva destinada a ampliar e fortalecer a rede de enfrentamento a esse tipo de violência, dando visibilidade às questões de gênero

Violência contra mulheres vai ser debatida em seminárioViolência contra mulheres vai ser debatida em seminário - Foto: Marcos Santos/USP

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), o Serviço Nacional do Comércio (Senac) e o Serviço Social do Comércio ((Sesc) vão desenvolver, em parceria, o Programa Mãos Empenhadas contra a Violência, no momento em que a Lei Maria da Penha está completando 13 anos. O objetivo é criar uma rede de profissionais de beleza para ajudar na conscientização e no esclarecimento às vítimas de violência doméstica. Trata-se de uma ação preventiva destinada a ampliar e fortalecer a rede de enfrentamento a esse tipo de violência, dando visibilidade às questões de gênero.

No piloto do programa, especialistas da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem RJ) começam a implementar, a partir do dia 19 de agosto, a capacitação de cerca de 120 instrutores de beleza das unidades do Senac RJ, instaladas na região metropolitana da capital, para atuar como multiplicadores junto aos alunos dos cursos da instituição.

Leia também:
Violência Doméstica contra mulher pode implicar em indenização
Senado aprova PL que protege mulheres vítimas de violência doméstica
Agressor de violência doméstica terá de ressarcir SUS


A ideia é que os futuros profissionais de beleza desenvolvam competências de escuta e apoio nas temáticas relativas ao tema e possam contribuir para o combate à violência, identificando e orientando as clientes com base na Lei Maria da Penha. A estimativa é que, até 2020, sejam alcançados cerca de 2 mil alunos dos cursos de cabeleireiro, maquiador, depilador, manicure e técnico em estética. O Sesc RJ também promoverá palestras, debates, oficinas, apresentações de teatro e de filmes sobre temas ligados a feminicídio e violência doméstica.

O Mãos Empenhadas contra a Violência foi desenvolvido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e será replicado pelo TJRJ. O programa também contará com a participação do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim) e o Sindicato dos Institutos de Beleza e Cabeleireiros de Senhoras do Rio de Janeiro (Sinbel). O projeto é mais uma das ações integradas ao Justiça pela Paz em Casa, do Tribunal de Justiça, que segue com atividades até o dia 31de agosto.

Veja também

Jogadores trintões dominam lista de artilheiros do país na temporada
Futebol

Jogadores trintões dominam lista de artilheiros do país na temporada

Profissionais podem se increver até 6 de outubro no CNJ Inova
justiça

Profissionais podem se increver até 6 de outubro no CNJ Inova