Saúde vai redistribuir aceleradores lineares para ampliar tratamento do câncer

Governo anunciou ainda a inclusão de 36 hospitais ao plano

O ministro Ricardo Barros anuncia a criação da Base Nacional de Dados da Assistência FarmacêuticaO ministro Ricardo Barros anuncia a criação da Base Nacional de Dados da Assistência Farmacêutica - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (2) que vai redistribuir os 140 aceleradores lineares pertencentes ao Plano de Expansão da Radioterapia no intuito de ampliar o acesso ao tratamento do câncer no país. Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a medida vai garantir a cobertura, via Sistema Único de Saúde (SUS), de 100% do público-alvo até o final de 2019.

Leia também
Inca: Brasil deve ter 600 mil novos casos de câncer por ano em 2018 e 2019
Serviço de pronto atendimento para crianças com câncer é inaugurado no Recife


“Estamos atendendo 74% das pessoas dentro do prazo da lei [60 dias após o diagnóstico de câncer] e só poderemos atender a todos com a implantação desses equipamentos. Com a quimioterapia, nós temos mais facilidade de estruturar, mas a radioterapia depende de construção, instalação. São equipamentos que nós precisamos cuidar pra que a radiação deles não vaze e afete as pessoas”, explicou.

O governo anunciou ainda a inclusão de 36 hospitais ao plano. Para garantir a medida, o ministério vai destinar um total de R$ 163,7 milhões em recursos para a ampliação e a construção do serviço em 14 estados e no Distrito Federal, que apresentam um deficit assistencial.

De acordo com a pasta, a inclusão de novas unidades só foi possível após a revisão do plano e a consequente exclusão de instituições com inviabilidade técnica que não atendiam aos critérios ou que pediram para sair do projeto. A portaria foi publicada em setembro do ano passado.

Do total de novos hospitais habilitados, 16 vão receber o acelerador linear e a casamata concluída (espaço destinado para a instalação do equipamento). As demais unidades vão receber apenas o acelerador, uma vez que já têm o local específico para instalação.

A previsão do ministério é que, até o final de 2018, outros equipamentos de radioterapia sejam entregues, totalizando os 140 anunciados pela pasta. Segundo o governo, cerca de R$ 500 milhões foram investidos para a aquisição de 100 aceleradores lineares, além da realização de projetos e obras. Os outros 40 aceleradores serão adquiridos com recursos de convênios.

“Esses 140 novos equipamentos, somados aos que já temos, são suficientes para dar cobertura a todos os brasileiros que dependem exclusivamente do SUS. Ao final de 2019, nós teremos um parque instalado de radioterapia capaz de atender a todos e, daí para frente, é utilizar novas tecnologias, upgrades tecnológicos nesses equipamentos para que eles possam fazer o tratamento em menos número de sessões”, concluiu o ministro.

Veja também

Contra fuga de passageiros, transporte pós-pandemia terá que rever modelos
TRANSPORTE

Transporte pós-pandemia terá que rever modelos

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento
Meio Ambiente

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento