Sobe para 16 o número de mortos na comunidade da Muzema no Rio

Desde o dia do desabamento, as equipes estão no local com mais de 100 militares, cães farejadores, drone, helicópteros, ambulâncias e viaturas de recolhimento de cadáveres

A ação é coordenada pela Delegacia da Barra da Tijuca. A ação é coordenada pela Delegacia da Barra da Tijuca.  - Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil

O Corpo de Bombeiros retirou antes do meio-dia nesta terça-feira (16) o corpo de uma menina dos escombros do local do desabamento de dois prédios no condomínio Figueiras do Itanhangá, na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. Com isso, sobe para 16 o número de vítimas fatais. Ainda são procuradas oito pessoas.

Das 24 pessoas encontradas desde sexta-feira (12), dez foram retiradas com vida, mas duas morreram no hospital. Dos feridos, três vítimas permanecem internadas em hospitais da rede municipal.

Leia também:
Sobe para 11 o número de mortos na tragédia em Muzema no Rio
'Escavei com as mãos', conta sobrevivente do desabamento em Muzema (RJ)


Atuam no local bombeiros de diversos quartéis. Desde o dia do desabamento, as equipes estão no local com mais de 100 militares, cães farejadores, drone, helicópteros, ambulâncias e viaturas de recolhimento de cadáveres.

Equipes da prefeitura também ajudam na atenção às vítimas e aos parentes e na conservação e remoção de entulhos na região do Itanhangá, local muito afetado pelas fortes chuvas que caíram na cidade na semana passada.

Veja também

Ministério da Saúde recua e recomenda suspensão vacinação de adolescentes sem comorbidades
Coronavírus

Saúde recomenda suspender vacina em adolescentes sem comorbidades; PE ainda não comentou

PF apreende 329 kg de cocaína em exportadora de Paranaguá, no Paraná
drogas

PF apreende 329 kg de cocaína em exportadora de Paranaguá, no Paraná