Brasil

Sobral comemora 100 anos de eclipse com vários eventos

Fenômeno comprovou a Teoria da Relatividade Geral proposta pelo físico alemão Albert Einstein

Eclipse Eclipse  - Foto: Observatório Nacional/Divulgação

A cidade cearense de Sobral recebe, a partir desta segunda-feira (27), uma exposição de fotos alusivas ao eclipse solar visto naquele município há 100 anos por pesquisadores brasileiros e estrangeiros. O fenômeno comprovou a Teoria da Relatividade Geral proposta pelo físico alemão Albert Einstein anos antes e constituiu uma das maiores conquistas científicas do século 20.

A exposição Pelo Céu de Sobral pode ser vista na Casa de Cultura de Sobral até o dia 29 de junho. A expectativa é de que o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes participe da inauguração. Além da exposição, até o dia 31 deste mês, no mesmo local, pesquisadores do Observatório Nacional (ON) desenvolverão atividades relativas ao eclipse e à relatividade geral, interagindo com estudantes do ensino secundário da cidade. "Vamos fazer vários experimentos que remetem a Sobral", disse à Agência Brasil o diretor do ON, João Carlos Costa dos Anjos.

Está prevista também a realização de uma conexão internacional com cientistas ingleses e portugueses que estarão na Ilha do Príncipe, na África, onde, há 100 anos, o eclipse não pôde ser observado com perfeição, em função do tempo desfavorável. "Será uma video-conferência internacional entre Sobral e a Ilha do Príncipe", explicou o diretor do ON.

Leia também:
Astrônomos revelam a primeira imagem de um buraco negro
Nasa recolhe depoimentos de quem assistiu à chegada do homem à Lua

Ainda nesta segunda-feira, em Sobral, o astrofísico e pesquisador do ON, Jailson Alcaniz, participará do evento Relatividade Geral, Passado, Presente e Futuro. No dia 30, na mesma cidade, ele representará o Observatório no Encontro Internacional do Centenário do Eclipse de Sobral.

Exposição do centenário
João Carlos Costa dos Anjos informou que na quarta-feira (29), quando se completa o centenário do eclipse, o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) e o Observatório Nacional inauguram a exposição O Eclipse - Einstein, Sobral e o GPS, alusiva à data, que tem como curador o diretor artístico e ator Marcello Dantas. A abertura está programada para as 11h e também está prevista a presença do ministro Marcos Pontes.

A exposição terá entrada gratuita ao público e ficará aberta à visitação até o ano que vem. De terça a sexta-feira, o horário vai das 9h às 17h; aos sábados, o funcionamento será de 14h às 19h e, aos domingos e feriados, de 14h às 18h.

No mesmo dia, o campus do MAST e do ON abrirá o novo Centro de Visitantes, com projeto do estúdio SuperUber, que une design, tecnologia e arquitetura para contar histórias de forma inovadora. "Tem uma parte interativa, tipo Museu do Amanhã", adiantou João Carlos dos Anjos.

Publicação
Encerrando as comemorações pelo centenário, o ON fará o lançamento de revista com várias entrevistas de especialistas do Brasil e do exterior sobre a expedição a Sobral, e sobre a relatividade geral. A revista será lançada durante a reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorrerá entre os dias 21 e 27 de julho, na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Expedições
O diretor do ON lembrou que duas expedições foram organizadas pela 'Royal Astronomical Society' com a missão de observar o eclipse solar, que aconteceu em Sobral e na Ilha do Príncipe, na costa africana, então colônia portuguesa. A equipe do Brasil era chefiada por Andrew Crommelin e contava com a participação do diretor do ON à época, o astrônomo Henrique Morize, e dos pesquisadores Lélio Gama, Allyrio de Mattos e Domingos Costa.

A outra era chefiada pelo astrônomo inglês Arthur Eddington. "Só que lá choveu e o eclipse não foi muito bem observado. Em Sobral, o tempo também estava nublado mas abriu na hora e as fotos ficaram boas. Com essas fotos, se comprovou a teoria da relatividade; que havia um desvio na luz que vinha de estrelas distantes que passava na borda do sol", disse João Carlos Costa dos Anjos.

"Durante o fenômeno, com o sol eclipsado, deu para ver as estrelas lá atrás e foi medido que havia um desvio", completou o diretor do ON. Outras fotos foram tiradas dois meses depois e, superpondo-as, pôde-se comprovar que tinha havido um desvio quando a luz passava na beira do sol. "Isso comprovou então a teoria da relatividade geral".

O eclipse de Sobral teve duração de 6 minutos e 51 segundos e foi considerado um dos mais longos eclipses solares do século 20. Os dois locais, no Brasil e na África, foram escolhidos porque poderiam oferecer as melhores condições para observação do fenômeno. As fotografias tiradas permitiram concluir que as estrelas não ocupavam suas posições habituais e previstas no firmamento, o que era compatível com os cálculos feitos com base na teoria da relatividade.

Veja também

PRF afasta envolvidos na morte de homem sufocado dentro de viatura
Sergipe

PRF afasta envolvidos na morte de homem sufocado em viatura

STF adia conclusão de julgamento sobre acordo coletivo no transporte
Justiça

STF adia conclusão de julgamento sobre acordo coletivo no transporte