STF aprova orçamento de 2020 sem aumento de salário dos ministros

O orçamento é R$ 91,9 milhões menor que o do ano passado, de R$ 778,6 milhões

Supremo Tribunal Federal (STF)Supremo Tribunal Federal (STF) - Foto: José Cruz/Agência Brasil/Arquivo

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, nesta quarta-feira (14), em sessão administrativa, o orçamento da Corte para o ano de 2020, de R$ 686,7 milhões, e sem a previsão de reajuste nos salários dos ministros.

O orçamento é R$ 91,9 milhões menor que o do ano passado, de R$ 778,6 milhões. A redução se deu devido à adequação às regras da Emenda Constitucional 95, do teto de gastos públicos, promulgada em 2016. A emenda previu um período de três anos de adequação do Poder Judiciário, que a partir do ano que vem fica plenamente sujeito às novas limitações orçamentárias.

A proposta orçamentária do STF para 2020 será enviada agora ao Poder Executivo, que a incorpora ao Projeto de Lei Orçamentária (PLO), a ser apreciado pelo Congresso Nacional.




Leia também:
Deputados decidem que pensão pode ser menor que salário mínimo se não for única renda
Portaria garante um salário mínimo de pensão; oposição critica
Deltan nunca pediu investigação de ministros do STF, diz força-tarefa da Lava Jato

Mesmo com as novas limitações, o STF garantiu em seu orçamento espaço para renovações nas instalações da Corte, incluindo R$ 3,3 milhões para a reforma da fachada do edifício-sede.

O maior gasto do tribunal é com salários e encargos de pessoal, que somam R$ 490,3 milhões. Estão previstos R$ 39,1 milhões para a contratação de terceirizados, que auxiliam em atividades como limpeza, segurança e comunicação.

Salário
Neste ano, o salário dos ministros do STF subiu de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. O reajuste, de 16,3%, foi aprovado em sessão administrativa por 7 votos a 4.

O aumento foi depois confirmado pelo Congresso, ocasionando um efeito cascata na administração pública, uma vez que o salário dos ministros serve de teto para a remuneração de todos os servidores públicos.

Veja também

Risco de morrer de Covid dá mais medo do que vacina, dizem grávidas
Coronavirus

Risco de Covid dá mais medo do que vacina, dizem grávidas

Saúde suspende vacinação de gestantes com AstraZeneca
Coronavirus

Saúde suspende vacinação de gestantes com AstraZeneca