STF autoriza oitivas em inquérito sobre suposta interferência na PF

Pedido para ouvir ministros, entre outros, foi feito pela PGR

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de MelloMinistro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta terça-feira (5) as diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, no inquérito que apura suposta tentativa de interferência na Polícia Federal (PF).

No pedido encaminhado nesta segunda-feira (4) ao relator, Aras pediu autorização para a tomada de depoimento de três ministros, seis delegados da Polícia Federal (PF), da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), além da realização de perícias.

As medidas foram tomadas após o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro prestar depoimento à PF, no sábado (2). Ao deixar o governo, Moro acusou o presidente Jair Bolsonaro de interferência na corporação.

Leia também:
Como contra-ataque, Bolsonaro avalia divulgar áudios e mensagens de conversas com Moro
Moro entrega à PF íntegra de conversa em que Bolsonaro pressiona por troca na corporação

O procurador-geral da República também solicitou a cópia de uma reunião realizada no dia 22 de abril entre o presidente Bolsonaro, o vice-presidente, ministros e presidentes de bancos públicos, e os comprovantes das assinaturas de exoneração a pedido do ex-diretor da PF Maurício Valeixo.

Desde a exoneração de Moro, o presidente nega que tenha pedido para o então ministro interferir em investigações da PF.

Veja também

Twitter marca postagem de Eduardo Bolsonaro por informação enganosa sobre a Covid-19
Redes Sociais

Twitter marca postagem de Eduardo Bolsonaro por informação enganosa sobre a Covid-19

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens
Caso Henry

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens