Temer libera R$ 200 milhões para conter greve em Roraima

Futuro governador chegou a pedir uma ampliação do valor para R$ 500 milhões com o objetivo de quitar dívidas com o pagamento de merenda, transporte e medicamentos

Presidente Michel TemerPresidente Michel Temer - Foto: TV Brasil

O presidente Michel Temer anunciou nesta terça-feira (11) a abertura de um crédito especial de R$ 200 milhões para tentar conter a paralisação de servidores da segurança pública em Roraima. A ideia é que o montante, disponibilizado por meio de uma medida provisória, seja usado para quitar a folha de pagamento estadual, que acumula atrasos de até três meses.

A previsão é de que a iniciativa seja publicada no "Diário Oficial da União" e enviada ao Congresso Nacional ainda nesta terça-feira (11). O socorro financeiro foi fechado após reunião, no Palácio do Planalto, entre o presidente e o interventor federal e governador eleito de Roraima, Antonio Denarium.

No encontro, o futuro governador chegou a pedir uma ampliação do valor para R$ 500 milhões com o objetivo de quitar dívidas com o pagamento de merenda, transporte e medicamentos. "Solicitamos também que esse valor fosse ampliado porque Roraima tem hoje uma dívida corrente líquida de mais de R$ 2 bilhões", disse.

Leia também:
Temer discute plano de recuperação fiscal de Roraima
Câmara aprova urgência para votação de intervenção federal em Roraima
Temer desautoriza interventor de conter entrada de venezuelanos em Roraima


A solicitação, contudo, foi negada pelo presidente, que alegou impedimentos orçamentários. "Neste governo, está totalmente fora de cogitação", afirmou o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

A expectativa do Palácio do Planalto é de que a medida provisória seja aprovada, e a folha de pagamento, quitada até o Natal. Em entrevista após o encontro, Denarium disse que Roraima passa por uma situação de caos econômico e social.

Ele disse que pedirá ao próximo presidente, Jair Bolsonaro, que a intervenção federal se estenda até o final de fevereiro nas áreas de segurança e fazenda. "Nós solicitamos uma intervenção por um prazo mais longo como forma de alocar os recursos do governo e que sejam aplicados de forma a atender toda a população", disse.

Após ser desautorizado por Temer, Denarium lembrou que tratados internacionais impedem o fechamento da fronteira com a Venezuela. Ele defendeu, contudo, um controle "mais rígido e eficaz". "É importante lembrar que eles estão entrando como refugiados. Mas, junto com os bons, entram os ruins também", afirmou.

Na saída da reunião, Padilha afirmou que, até o final do ano, cerca de mil venezuelanos serão levados para outros estados do país, somando quatro mil desde o início da crise migratória.

Veja também

Governo defende que civis sejam julgados pela Justiça Militar em caso de ofensa às Forças Armadas
Brasil

Governo defende que civis sejam julgados pela Justiça Militar em caso de ofensa às Forças Armadas

Nise Yamaguchi processa senadores de CPI e pede ao menos R$ 320 mil por danos morais
CPI da Covid

Nise Yamaguchi processa senadores de CPI e pede ao menos R$ 320 mil por danos morais