Temporal no Rio provoca mortes, alagamentos e deslizamento

A ciclovia Tim Maia, em São Conrado, afundou com as fortes chuvas que atingiram o Rio de Janeiro nesta madrugada

Ciclovia Tim Maia afunda após temporal no Rio de JaneiroCiclovia Tim Maia afunda após temporal no Rio de Janeiro - Foto: CSCNI

Um temporal atingiu o Rio de Janeiro no início da madrugada desta quinta-feira (15), deixando vários bairros alagados, com rios transbordando e ruas e avenidas interditadas. A prefeitura decretou Estágio de Crise na cidade à 0h25 minutos devido a “núcleos de chuva forte a muito forte, associados à atuação de áreas de instabilidade”, o que provocou um verdadeiro caos na cidade.

O Centro de Operações do Rio informou, em publicação no Twitter, que a Ciclovia Tim Maia afundou no trecho de São Conrado. Agentes da Defesa Civil se dirigem ao local para realizar a interdição do trecho da via entre São Conrado e a Barra da Tijuca.

Leia também:
Temporal deixa um desaparecido e 150 deslocados no norte da Argentina

Foram contabilizadas três vítimas fatais, de acordo com publicações da Agência Brasil. Marcos Garcia, de 59 anos, e Judina Magalhães, de 62 anos foram encontrados sem vida pelo Corpo de Bombeiros após um desabamento na Rua Olina, em Quintino Bocaiuva. A terceira vítima é o policial militar Nilsimar Santos, de 48 anos, que dirigia seu carro pela Rua Recife, em Realengo, na Zona Oeste, quando foi atingindo por uma árvore que desabou sobre o veículo.

De acordo com o Sistema de Alerta Rio, pancadas de chuva, acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento atingiram a capital fluminense nas últimas horas. O Estágio de Crise é o terceiro nível em uma escala de três e significa chuva forte, podendo provocar alagamentos e deslizamentos de terra.

O temporal provocou a falta de luz em vários bairros do Rio e também em cidades da Baixada Fluminense. As equipes de emergência da concessionária de energia Light estão nas ruas para atender os pedidos de emergência. No entanto, encontram dificuldades por causa das inundações causadas pelo transbordamento de rios e córregos. Muitos galhos de árvore caíram sobre a rede elétrica, deixando diversos bairros sem luz.

O Rio Maracanã que não transbordava há mais de dois anos, depois que a prefeitura construiu piscinões para conter a água da chuva nas praças da Bandeira e Varnhagen, na Tijuca, voltou a transbordar. Devido ao volume de água que desceu do Maciço da Tijuca, os bairros do Maracanã e da Tijuca ficaram alagados, as garagens de vários prédios encheram de água. A Avenida Maracanã chegou a fechar.

A Avenida Brasil, a Linha Amarela, Linha Vermelha e a Rodovia Rio-Petrópolis ficaram alagadas, deixando os motoristas presos no engarrafamento. Os túneis da Linha Amarela também foram atingidos. A Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, ficou com mais de 1 metro de água de altura, deixando os motoristas ilhados.

O Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão chegou a fechar e um voo, que chegou de madrugada procedente de Buenos Aires, foi desviado para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e outro da cidade do Panamá foi desviado para o Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte.

O rio que passa paralelo à Rua Nerval de Gouveia, entre os bairros de Quintino e Cascadura, na zona norte, transbordou. O mesmo aconteceu na Estrada do Tindiba, em Jacarepaguá. O bairro de Piedade também teve vários pontos de alagamento. O Rio Faria Timbó também transbordou, na altura dos bairros de Ramos e Bonsucesso, atingindo a favelinha da Skol, no Complexo do Alemão.

Na Lapa, na região central do Rio, uma árvore caiu na Avenida Gomes Freire, em frente ao número 380, interditando a via. Na Rua do Couto, na Penha, várias árvores caíram devido à força da ventania, que antecedeu o temporal.

A Estação de Jacarepaguá da Meteorologia registrou rajadas de vento de 69,4 quilômetros por hora (km/h). No Galeão, os ventos chegaram a 55,6 km/h e na Estação de Santa Cruz, 51,9 km/h. As sirenes de alerta do Sistema Alerta Rio foram acionadas em 76 comunidades, entre elas, no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, no Complexo do Lins e no Morro do Juramento, na zona norte.

O temporal durou mais de uma hora e somente depois das 2h30 da madrugada é que o nível dos rios e córregos começou a baixar e a situação começou a se normalizar. Para as próximas horas, há previsão de pancadas de chuva isoladas, de intensidade fraca a moderada, segundo o Alerta Rio.

Veja também

Operação Ábdito da PF apura morte de indígenas em Roraima
Investigação

Operação Ábdito da PF apura morte de indígenas em Roraima

Hospital de Bonsucesso suspende atendimentos e passará por reforma
Rio de Janeiro

Hospital de Bonsucesso suspende atendimentos e passará por reforma