Tiroteio deixa um morto e dois feridos no centro do Rio

Assaltantes em duas motos tentaram assaltar uma loja de venda de celulares por volta das 8h30, na Avenida Presidente Vargas

Avenida presidente Vargas, no Centro do Rio de JaneiroAvenida presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução / Google Maps

Trocas de tiros deixaram um morto e dois feridos no centro do Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira (19). Segundo a assessoria de imprensa do projeto de segurança Centro Presente, assaltantes em duas motos tentaram assaltar uma loja de venda de celulares por volta das 8h30, na Avenida Presidente Vargas.

Durante a ação, eles trocaram tiros com o segurança da loja, que ficou ferido por estilhaços. Os criminosos então, seguiram pela Presidente Vargas e iniciaram uma segunda troca de tiros com agentes do Centro Presente. Depois desse tiroteio, eles seguiram pela avenida.

Na altura da Central do Brasil, um terceiro tiroteio foi iniciado, desta vez com policiais militares e agentes do Centro Presente. Durante essa troca de tiros, o fiscal de uma empresa de ônibus Luiz Carlos Carneiro Viana, de 60 anos, foi baleado e morreu antes de chegar ao hospital.

Leia também:
Governo vai liberar crédito extraordinário para intervenção no Rio de Janeiro
Eficiência de intervenção no Rio é colocada em xeque com morte de vereadora

Aparecida dos Santos, de 46 anos, estava no ponto de ônibus e ficou ferida. Ela foi encaminhada para o Hospital Souza Aguiar e está em situação estável, assim como o segurança atingido por estilhaços.

Tiroteio na zona norte
No Engenho de Dentro, na zona norte da cidade do Rio, uma troca de tiros entre policiais e criminosos também terminou com três baleados. Um policial ficou ferido no ombro. Dois homens, que segundo a Polícia Militar, atiraram contra os policiais, também foram baleados.

Veja também

Candidatos a vereador replicam histórias compradas na internet
Eleições 2020

Candidatos a vereador replicam histórias compradas na internet

Brasil piora posição em ranking de impunidade em homicídios de jornalistas
Violência

Brasil piora posição em ranking de impunidade em homicídios de jornalistas