'Todo mundo que é pai e mãe é responsável', diz Bolsonaro sobre cadeirinha do bebê

Segundo o presidente, o objetivo é acabar com 'a indústria da multa no Brasil'

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em evento pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, na divisa dos estados de Goiás com Mato Grosso, o presidente Jair Bolsonaro minimizou a proposta apresentada por ele de acabar com a obrigatoriedade das cadeirinhas para crianças de até dez anos nos veículos e repetiu que "vai acabar com a indústria da multa no Brasil".

"Cadeirinha do bebê: todo mundo que é pai e mãe é responsável. Continua valendo a infração para a pontuação. Apenas tirei o dinheiro. Vamos ver se o pessoal vai multar ou é a multa pela multa?"

A fala ocorre um dia depois de Bolsonaro ter levado ao Congresso um projeto de lei que altera pontos do Código de Trânsito Brasileiro. Entre os pontos, o texto prevê a duplicação do limite de pontos permito a um motorista -de 20 para 40.



Leia também:
Bolsonaro e Michelle devem ir ao amistoso da seleção em Brasília
'
A reforma traz desgaste para o parlamentar', diz Bolsonaro no Programa do Ratinho; veja vídeo

O presidente disse ainda que se dependesse dele, triplicaria o limite de pontos que um motorista pode ter na carteira. "Por mim eu botaria 60 porque, afinal de contas, a industria da multa vai deixar de existir no Brasil", disse.

Entre os principais pontos do projeto está o aumento da validade do documento -de 5 para 10 anos e a elevação do limite de pontos. O texto também acaba com a aplicação de multas para quem levar crianças com menos de 10 anos no banco da frente do carro.

Bolsonaro disse que no Rio de Janeiro há policiais posicionamos na porta das escolas para multar os pais que descumprem a obrigatoriedade da cadeirinha.Antiga bandeira de seus discursos de quando era deputado federal, Bolsonaro voltou a prometer o fim da lombada eletrônica "para o bem dos motoristas" e da "indústria de multas".

Em discurso no evento, o presidente também disse ter acertado com o ministro Paulo Guedes (Economia) a contratação de mil policiais rodoviários federais. A declaração ocorre um dia depois de Guedes ter afirmado que suspenderá concursos públicos no país nos próximos anos.

Veja também

Anvisa se reúne com laboratório da vacina Sputinik V
Covid-19

Anvisa se reúne com laboratório da vacina Sputinik V

Importação de insumo de vacinas é questão burocrática, diz Bolsonaro
Vacina

Importação de insumo de vacinas é questão burocrática, diz Bolsonaro