Brasil

Um dia após ataque a Bolsonaro, site do Instituto Mises é alvo de hackers

Um grupo que não se identificou removeu parte do conteúdo do site e modificou textos

HackersHackers - Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O site do Instituto Mises Brasil, uma das principais entidades defensoras de ideias liberais do país, sofreu um ataque de hackers na madrugada desta quarta-feira (3).

Um grupo que não se identificou removeu parte do conteúdo do site e modificou textos. Alguns títulos foram trocados e tiveram incluída a frase: "A paixão pela destruição é uma paixão criativa".

Leia também:
Bolsonaro diz que prorrogação de auxílio emergencial é quase certa e estuda nova carteira Verde e Amarela
Bolsonaro diz que vazamento de dados pessoais por grupo de hackers é 'clara medida de intimidação'


O ataque ocorre um dia depois de uma ação de hackers ter exposto dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro, de seus filhos e dos ministros Damares Alves (Direitos Humanos) e Abraham Weintraub (Educação). A ação foi reivindicada pelo grupo Anonymous Brasil.

Em comunicado, o Mises Brasil lembrou que, na terça-feira (2), fez uma postagem indicando cinco artigos em seu site para ajudar a entender o que é o fascismo."O post fez bastante sucesso, com milhares de curtidas e compartilhamentos. Como ainda há gente que não suporta que as pessoas tenham conhecimento e saibam a verdade, hackearam nosso site e apagaram os artigos", disse o instituto, que está trabalhando para restabelecer o conteúdo online.

Comandado pelo economista Helio Beltrão, o Mises Brasil destaca-se pela defesa de uma pauta liberal, especialmente na economia, e costuma se alinhar com a agenda do ministro Paulo Guedes (Economia).

Diversas pessoas egressas do instituto, ou formadas em seus cursos, integram a equipe econômica. O Mises deve tomar medidas legais sobre o ocorrido, mas ainda está definindo quais.

Veja também

PM acusado da morte de lutador de jiu-jitsu se entrega
São Paulo

PM acusado da morte de lutador de jiu-jitsu se entrega

Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle, é condenado por tráfico internacional de armas
Caso Marielle

Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle, é condenado por tráfico internacional de armas