Voluntários levam cirurgias a aldeias

Cirurgias como catarata, hérnia, tracoma, e outros procedimentos cirúrgicos, ginecológicos e pediátricos chegam aos indígenas em centros móveis, que totalizam cerca de 15 toneladas de equipamentos.

Serão investidos R$9,5 milhões na operação conjuntaSerão investidos R$9,5 milhões na operação conjunta - Foto: Gustavo Glória/Folha de Pernambuco

 

Por cerca de uma semana, a população da Vila de Assunção do Içana, pertencente ao município de São Gabriel da Cachoeira (AM), no Alto do Rio Negro, contou com um centro cirúrgico, no meio da Floresta Amazônica. Distante três dias de barco da capital do Amazonas, Manaus, e acessível apenas em períodos de cheia, a aldeia recebeu os Expedicionários da Saúde, uma organização sem fins lucrativos que leva atendimento médico especializado para a população indígena.
Cirurgias como catarata, hérnia, tracoma, e outros procedimentos cirúrgicos, ginecológicos e pediátricos chegam aos indígenas em centros móveis, que totalizam cerca de 15 toneladas de equipamentos. Voltada a 36 mil índios, a ação conta com 45 médicos voluntários.

Profissionais de saúde do Distrito Sanitário Indígena do Alto Rio Negro fizeram uma primeira triagem. Em seguida, os médicos fizeram uma análise especializada. Balanço parcial mostra que foram feitos 770 atendimentos e 164 cirurgias.

 

Veja também

Mais de 41 milhões de brasileiros estavam obesos em 2019
Saúde

Mais de 41 milhões de brasileiros estavam obesos em 2019

'Não será comprada', diz Bolsonaro sobre vacina chinesa após Pazuello anunciar aquisição
Coronavac

'Não será comprada', diz Bolsonaro sobre vacina chinesa após Pazuello anunciar aquisição