A-A+

Brasileiros no epicentro do coronavírus podem passar por quarentena em Goiás

Reunião na Casa Civil deve definir os detalhes da repatriação desses brasileiros

Área militar em Anápolis já tem experiência com casos de isolamento, por ter trabalhado no caso do acidente com césio-137 em GoiâniaÁrea militar em Anápolis já tem experiência com casos de isolamento, por ter trabalhado no caso do acidente com césio-137 em Goiânia - Foto: Divulgação

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta segunda-feira (3) que o governo avalia deixar os brasileiros evacuados da cidade de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus na China, em quarentena em uma área militar na cidade de Anápolis, em Goiás.

Uma reunião na Casa Civil deve definir os detalhes da repatriação desses brasileiros. A aeronave que os buscará -entre 30 e 40 pessoas, segundo Onyx- deverá decolar na terça e retornar entre quinta (6) e sexta (7), segundo o titular da Casa Civil. As declarações foram dadas pelo ministro durante uma entrevista para a Rádio Gaúcha.

Leia também:
Coronavírus: governo anuncia repatriação de brasileiros
Em meio a surto de coronavírus, orientais no Brasil relatam preconceito e desconforto

Anápolis é o local mais provável da quarentena porque, de acordo com o ministro, a área militar no local já tem experiência com casos de isolamento, por ter trabalhado no caso do acidente com césio-137 em Goiânia. Ele também citou Florianópolis (SC) e locais no Nordeste como alternativas para a quarentena.

Na mesma entrevista, Onyx disse que conversou com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para agilizar a tramitação de uma Medida Provisória que crie a figura de quarentena sanitária no Brasil. A ausência de uma legislação desse tipo foi apontada pelo presidente Jair Bolsonaro como uma das razões que dificultam a evacuação. Outra seria a questão orçamentária.

"Se não tiver redondinho no Brasil não vamos buscar ninguém. A intenção do presidente não vai buscar ninguém. Quem quer vir para cá tem que se submeter aos trâmites de proteção dos 210 milhões que estão aqui", declarou Bolsonaro na sexta. "Vamos acelerar a apreciação para à tarde ela estar pronta, no retorno do presidente [de São Paulo]. A gente colhe a assinatura do presidente, dá entrada ainda hoje no Congresso", afirmou Onyx. Segundo ele, a ideia é votar o texto na terça na Câmara e no dia seguinte no Senado.

Ainda de acordo com Onyx, a aeronave que realizará a retirada dos brasileiros fará escala em Israel, tanto na ida quanto na volta. O governo anunciou no domingo (2) que os brasileiros na região serão evacuados.

De acordo com comunicado dos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores, os cidadãos do Brasil que se encontram na região e que manifestarem desejo de deixar o local poderão retornar ao país, possivelmente em um voo fretado.

Ainda de acordo o governo, duas brasileiras que possuem nacionalidade portuguesa, e que estavam em Wuhan, já embarcaram em um voo que evacuou cidadãos da União Europeia. Ambas cumprirão quarentena em Portugal.

O Itamaraty estima que aproximadamente 50 brasileiros estão na zona de quarentena chinesa na província de Hubei, onde está localizada a cidade de Wuhan. Em um vídeo publicado neste domingo, um grupo de brasileiros na China fez um apelo ao governo Bolsonaro pela evacuação. Na publicação, eles lembram justamente as operações de retirada de estrangeiros promovidas por diversos países.

Veja também

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil
Vacinas

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil

Assessora de Hillary Clinton diz que foi abusada sexualmente por senador
Denúncia

Assessora de Hillary Clinton diz que foi abusada sexualmente por senador