EUA

Briga com tiros na Times Square fere 3, incluindo menina de 4 anos

As vítimas não se conheciam e foram levadas para o hospital depois de serem atingidas por volta das 17h. A criança precisou de cirurgia no sábado à noite, segundo a polícia

Pedestres na Times Square, Nova York em 27 de abril de 2021Pedestres na Times Square, Nova York em 27 de abril de 2021 - Foto: AFP

Uma briga neste sábado (8) na Times Square, em Nova York, terminou com tiros, que atingiram duas mulheres e uma menina de quatro anos, segundo o The New York Times.

A polícia informou que a menina estava comprando brinquedos com a família e foi atingida na perna. Ela não corre risco de vida, assim como as outras duas vítimas, de 23 e 43 anos, que sofreram ferimentos na perna e no pé, respectivamente.

As vítimas não se conheciam e foram levadas para o hospital depois de serem atingidas por volta das 17h. A criança precisou de cirurgia no sábado à noite, segundo a polícia.

 

"Felizmente, esses inocentes estão em condições estáveis", escreveu o prefeito Bill de Blasio nas redes sociais. "Os perpetradores dessa violência sem sentido estão sendo identificados e a políca de Nova York irá trazê-los para a Justiça. O fluxo de armas ilegais na nossa cidade tem que parar".

Segundo o comissário de polícia da cidade, Dermot F. Shea, não se sabe ainda o que levou aos tiros, mas uma briga entre dois a quatro homens parece ter sido o estopim.

Ele afirmou que a polícia já está em busca de ao menos um suspeito e que ao menos quatro tiros foram disparados.
Os tiros geraram medo e esvaziaram as ruas da região, uma das mais movimentadas de Nova York. De acordo com o jornal americano, as ruas foram fechadas para pedestres e motoristas e os comércios esvaziados.

Veja também

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)
Vacinas

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)

Organizadores de atos de junho de 2013 em Porto Alegre são absolvidos por falta de provas
Inocentes

Organizadores de atos de junho de 2013 em Porto Alegre são absolvidos por falta de provas