Buracos na estrada afetam viagens na RMR

Na mobilidade urbana, o transtorno se revela em perda de viagem de ônibus que trafegam ali.

Nas paradas, a espera pelos ônibus presos entre a buraqueiraNas paradas, a espera pelos ônibus presos entre a buraqueira - Foto: Henrique Genecy

A degradação da BR-101, além de criar situações propícias a acidentes, tem trazido prejuízos de outras ordens. Veículos de transporte de cargas têm levado até três horas para trafegar por um trecho em que costumavam gastar 45 minutos. Na mobilidade urbana, o transtorno se revela em perda de viagem de ônibus que trafegam ali.

Coletivos da linha 216-TI Barro/TI Cajueiro Seco, por exemplo, têm percorrido 19 quilômetros enfrentando buracos na pista, considerando ida e volta. Por conta de engarrafamentos, ônibus dessa linha deixaram de realizar 73 viagens em maio.

Leia também
Crateras que já viraram rotina no entorno do Recife
Buracos mudam rota de ônibus em Olinda


Os dados são os mais atualizados que o Grande Recife Consórcio de Transporte tem, já no período em que a chuva castigava o asfalto da BR-101. Outra linha afetada pela degradação da pista é a 060-TI Tancredo Neves/TI Macaxeira.

Os ônibus transitam por um trecho pequeno da BR-101 e, na chegada à Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, passaram várias semanas sofrendo com os congestionamentos na avenida Mascarenhas de Morais devido ao acesso problemático à rua Coronel Fabriciano. Foram 44 viagens perdidas.

Veja também

Navegue na edição digital da Folha Mais deste fim de semana
Impresso

Navegue na edição digital da Folha Mais deste fim de semana

Além da preparação para provas, Enem vai exigir medidas de prevenção contra o novo coronavírus
Enem

Além da preparação para provas, Enem vai exigir medidas de prevenção contra o novo coronavírus