Caio Souza e Arthur Nory são parceiros desde sempre

Medalhistas de ouro e prata do individual geral na ginástica artística do Pan de Lima-2019, são grandes amigos

Arthur Nory e Caio Souza fizeram a dobradinha no PanArthur Nory e Caio Souza fizeram a dobradinha no Pan - Foto: LUIS ROBAYO / AFP

Caio Souza e Arthur Nory, respectivamente medalhistas de ouro e prata no individual geral da ginástica artística masculina no Pan de Lima-2019, dividem mais que a foto com as medalhas. Eles se conhecem desde a infância, quando iniciaram suas trajetórias na ginástica e começaram a se destacar. A convivência de mais de uma década transformou os dois em "irmãos".

Mais sério, Caio Souza não consegue se segurar e ri durante entrevista a dezenas de jornalistas com uma piada do amigo. O medalhista de ouro explicava sobre sua cirurgia no tornozelo, quando Nory se manifestou brincando.

"Eu fiz uma limpeza no pé. Eu estava com...", explicava Caio. "Chulé!", brincou Nory. "É isso que a gente fala. Intimidade é uma coisa que não volta", completou Caio.
A descontração é uma amostra pequena de como é a convivência dos dois. "A gente se conhece muito bem. Ele é seis dias mais velho que eu. Ele adora falar isso, desde pequeno. A gente se conhece muito bem. Desde pequeno a gente sabe o que o outro quer ouvir, o que o outro precisa de ajuda. É o trabalho em equipe que tem sempre. Quando viaja, está sempre no mesmo quarto, sempre junto, e é isso", comentou Arthur Nory.

Caio Souza é de fato mais velho. Ele nasceu em 12 de setembro de 1993. Nory é do dia 18 do mês e do mesmo ano. Um dos técnicos da seleção brasileira define os dois como irmãos.

"Não seria exagero dizer que são irmãos. Tem mais de 10 anos que os dois estão aí. Passaram por cirurgias e dificuldades, momentos bons e ruins. Nory teve conquistas um pouco antes, e acredito que seja agora o momento do Caio", analisou Cristiano Albino, sobre o ouro de Caio Souza ontem.

"Eles sempre disputaram desde novinhos nas primeiras categorias, infantil, infanto, juvenil, e até hoje. Agora eles se tornaram irmãos. Existe a disputa que sempre tem alguém que ganha e alguém em segundo no esporte. Todas as viagens a gente acaba fazendo juntos. Eles ficam muitas vezes nos quartos juntos. Os dois entraram juntos na seleção, foram para campeonatos juntos da seleção. Sempre houve a disputa sadia. Os dois têm muitas características parecidas, esforçados, trabalham demais", completou.

Leia também:
Flávia Saraiva ganha o bronze no individual geral do Pan
Equipe brasileira de ginástica é ouro no Pan de Lima
Astro nas argolas, Zanetti pode ganhar medalha no solo


Na ginástica, o treinador prefere ressaltar que os dois "são completos". Na personalidade, no entanto, eles não são nada parecidos. "O Caio é um pouco mais tranquilo, um pouco mais na dele, não é tanto de brincar, não é tão extrovertido como o Nory. Nory gosta de brincar, mídia social, gosta de brincar com todo mundo. Não pense me tirar o celular dele! A gente nem pensa em tirar o celular dele, deixa ele postar, só ter cuidado. O Caio é bem mais sossegado, usa mais o celular para a família", comparou.

Veja também

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça
Racismo

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS
HIV

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS