Câmara inicia discussão em segundo turno da reforma da Previdência

Assim como na votação em primeiro turno, serão necessários 308 votos para que a matéria seja aprovada e enviada ao Senado

Votação do 2º turno da PrevidênciaVotação do 2º turno da Previdência - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O plenário da Câmara dos Deputados começou há pouco a discussão em segundo turno da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/19). Assim como na votação em primeiro turno, serão necessários 308 votos para que a matéria seja aprovada e enviada ao Senado, onde também será analisada em dois turnos de votação.

A oposição ainda tenta modificar trechos da proposta e já anunciou que apresentará os nove destaques a que tem direito para tentar retirar pelo menos quatro itens do texto da reforma. Estão no foco de partidos da oposição a retirada de trechos como a pensão para mulheres, aposentadorias especiais, pensão por morte e as regras de transição.

Parlamentares da oposição também anunciaram que usarão do chamado “kit obstrução”, conjunto de instrumentos regimentais que podem atrasar ou mesmo adiar a votação.

Leia também:
Maia confia em placar da Previdência próximo ao do 1º turno e não vê mudanças no texto
Por Previdência, governo envia projeto que libera R$ 3 bi para pagar emendas
Governadores apoiam nova previdência para estados e municípios
Mesmo sob ameaça, deputados da oposição devem apoiar Previdência
Previdência: Onyx espera que votação em 2º turno seja concluída na quarta
Votação da reforma da Previdência em segundo turno deve começar nesta terça

Após a fase de discussão, os deputados passarão à votação do texto-base e, em seguida, analisarão os destaques - propostas para modificar a redação da PEC. A expectativa do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), é encerrar a votação matéria na Casa até quarta-feira (7).

Veja também

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa
idosos

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio
emprego

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio