Caminhoneiro é preso após atirar em cadela na zona norte de SP

O caminhoneiro foi preso em flagrante por porte ilegal de arma, disparo de arma de fogo e maus-tratos

CãesCães - Foto: reprodução

A cadela Pintada, de 2 anos, foi baleada pelo caminhoneiro Douglas Tarciso da Silva, 38 anos, nesta quarta-feira à noite no Terminal de Cargas do Parque Novo Mundo, na zona norte da cidade de São Paulo.

O caminhoneiro foi preso em flagrante por porte ilegal de arma, disparo de arma de fogo e maus-tratos. Ontem à tarde, ele teve a prisão preventiva decretada. A reportagem não conseguiu contato com a sua defesa. Pintada, uma vira-lata, tinha o hábito de circular pelo terminal e era cuidada, juntamente com outros animais, por um segurança.

Leia também:
Morte de cachorro em SP: vídeos da brutalidade circulam nas redes
[Vídeo] Cachorro invade campo e salva gol na Argentina
Inquérito é aberto para apurar morte de cachorro em supermercado na Grande SP


Silva estava com o caminhão estacionado no terminal. Ele alegou que havia sido mordido pela cadela. Por volta das 23h, ele utilizou uma pistola calibre 6.35 e atirou contra Pintada. A bala atravessou o ombro da cadela. "Fazíamos patrulhamento pelo terminal e fomos avisados do caso pelo segurança. Encontramos a arma escondida em outro veículo e o caminhoneiro confessou o disparo", afirmou o PM Henrique Ribeiro, 34 anos.

Pintada foi levada pela PM para a clínica veterinária Vet Popular, onde permanece internada. Os policiais iriam rachar os custos, mas a clínica resolveu não cobrar pelo tratamento. O PM Ribeiro e seu colega Renato Zanin, 31 anos, também envolvido na ocorrência, foram homenageados ontem no 5º Batalhão.

Veja também

Na maior favela de palafitas do Brasil, a Covid é mais uma mazela
Pandemia

Na maior favela de palafitas do Brasil, a Covid é mais uma mazela

Covid-19: Rio vacina profissionais da limpeza urbana esta semana
Coronavírus

Covid-19: Rio vacina profissionais da limpeza urbana esta semana