Caminhoneiros aguardam reunião com Paulo Câmara para finalizar paralisação

Profissionais devem entregar pauta de reivindicações ao governador do Estado

Coletiva de Imprensa no Centro Integrado de Comando e Controle Regional de PE. Na Foto, Governador, Paulo Câmara.Coletiva de Imprensa no Centro Integrado de Comando e Controle Regional de PE. Na Foto, Governador, Paulo Câmara. - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Após o anúncio feito pelo presidente Michel Temer (MDB), na noite do domingo (27), da redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias, caminhoneiros de Pernambuco aguardam reunião com o governador Paulo Câmara (PSB) para tratar sobre os próximos passos da paralisação, que já dura oito dias, no Estado.

Segundo o advogado do Movimento dos Caminhoneiros Autônomos de Pernambuco, André Fonseca, o prazo para a marcação do encontro é até 12h desta segunda-feira (28). "Uma equipe do governador nos contactou no sábado [26] à noite e queria uma reunião no domingo, que seria o dia do encontro dos caminhoneiros com seus familiares. Por isso, deixamos essa reunião para a segunda. Estamos no aguardo de hora e local", afirmou o representante dos profissionais.

Leia também:
Paulo Câmara promete 100% da frota de ônibus e mais força policial para desbloquear estradas
Paulo Câmara decreta estado de emergência em Pernambuco


A categoria deverá entregar a Câmara a pauta de reivindicações, que está sendo concluída. "Há um consenso entre os caminhoneiros que formam esse movimento no Estado e esperam essa convocação para resolver as questões também em nível estadual", completou. "O movimento só vai ser desmanchado depois da publicação do acordo nos Diários Oficiais do Estado e da União", alertou o advogado.

Em relação a como os caminhoneiros receberam a redução no diesel anunciada por Temer, Fonseca afirmou que é mínima. "Essa redução é vergonhosa. Os caminhoneiros querem fazer acordo, eles não foram parados, pararam para não morrer de fome", completou. "O governador se compromete a fazer uma mesa redonda e se omite após o anúncio do presidente. O governo cruza os braços e vira as costas para a categoria", finalizou.

Veja também

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Coronavírus

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio
Coronavírus

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio