Campanha chama a atenção para importância da prevenção da meningite

Iniciativa é da Sociedade Brasileira de Imunizações

Entre os contemplados, estão trabalhadores da saúde, indígenas, idosos e professores de escolas públicas e privadas.Entre os contemplados, estão trabalhadores da saúde, indígenas, idosos e professores de escolas públicas e privadas. - Foto: Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

Campanha da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) pretende conscientizar os brasileiros quanto à prevenção da meningite. O pré-lançamento da campanha Meningite: A Informação Vencendo o Medo, ocorreu nesta-quarta-feira (17) durante o 4º Workshop SBIm para Jornalistas, em São Paulo. O evento é uma contribuição da entidade para o Dia Mundial de Combate à Meningite (24 de abril).

A meningite é uma doença temida pela população devido à alta letalidade e, em parte, à desinformação. Apesar disso, à adesão às vacinas disponibilizadas gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde é aquém da esperada.

"Atualmente, um a cada cinco que desenvolvem a doença meningite morre, a despeito de ser atendido no tempo adequado. Quanto antes atendido, melhores são as chances de sobreviver", alerta o integrante da comissão técnica para revisão dos calendários vacinais da SBIm e diretor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o médico Marco Aurélio Sáfadi.

Leia também:
Governo quer vacinar 10 milhões de adolescentes contra meningite e HPV
Vacina para meningite apresenta resultados promissores contra gonorreia

O médico alertou sobre a consequências da doença. "Dos que sobrevivem, entre 10% e 15% têm sequelas, como surdez, cegueira e outras complicações neurológicas."Apesar da incidência da doença no país, Sáfadi diz que há avanços. Ele lembrou que o Ministério da Saúde, numa iniciativa inédita, "introduziu a vacina meningo C no Programa Nacional de Imunização em 2010". "Desde então reduzimos em dois terços os casos de doença meningogócica graças à vacinação", destacou.

Sáfadi alerta que a vacinação não deve ser negligenciada pela população. "É uma doença controlada, mas ainda longe de estar eliminada e erradicada e é importante que exista esse grau de conhecimento sobre a doença."

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Carla Domingues, apresentou as coberturas vacinados disponíveis no país. Ela destacou que 300 milhões de doses de vacina são adquiridas anualmente, para rotina e para campanhas e que a população-alvo é aquela de maior vulnerabilidade à doença ou às complicações decorrentes dela.

"Não temos disponibilidade de vacina para todo mundo, então você começa o programa garantindo a vacina para aquele grupo que mais precisa e tem impacto imediato e depois negocia a ampliação do programa de vacinação", ressaltou a coordenadora.

Atualmente o PNI oferece na rede pública a vacina contra a meningite C, por ser a de maior incidência no país. Estão disponíveis também a vacina Hib e VPC10, que protegem contra Haemophilus influenza b e a menigite pneumocócica. Já as vacinas meningocócicas B e ACWY são oferecidas na rede particular.

A SBIm tem um canal exclusivo para as famílias com informações sobre todas as vacinas disponíveis no país. O site família.sbim.com.br atualiza anualmente os calendários de vacinação das redes públicas e privadas e esclarece as dúvidas sobre os imunizantes.

Veja também

Menina morre asfixiada na Itália ao participar de desafio no TikTok
"Desafio do apagão"

Menina morre asfixiada na Itália ao participar de desafio no TikTok

Indígenas venezuelanos refugiados farão universidade no PA
Educação

Indígenas venezuelanos refugiados farão universidade no PA