Campanha de Bolsonaro quer acompanhar apuração na sala-cofre do TSE

Segundo ele, o pedido só foi feito agora às vésperas do segundo turno porque a equipe estudava maneiras de garantir a credibilidade do sistema eletrônico

Onyx Lorenzoni não dividirá tarefa de interlocução política do governo com o Congressoi Onyx Lorenzoni não dividirá tarefa de interlocução política do governo com o Congressoi  - Foto: Divulgação/Democratas

A coligação de apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que cinco representantes das campanhas de cada um dos dois candidatos possam acompanhar a apuração de votos na sala-cofre do tribunal.

“Estamos em busca de um direito constitucional: a transparência dos atos públicos. Fizemos isso de forma democrática e ampla”, explicou o articulador político de Bolsonaro, deputado Onyx Lorenzoni (DEM).

Leia também:
Após auditoria, Justiça Eleitoral descarta fraude em urnas do primeiro turno
Estados criam palanques duplos para Bolsonaro no segundo turno


Segundo ele, o pedido só foi feito agora às vésperas do segundo turno porque a equipe estudava maneiras de garantir a credibilidade do sistema eletrônico, “que não é usado em nenhum lugar com democracia consolidada”, afirmou.

Caso a ministra Rosa Weber negue o pedido, Lorenzoni adiantou que tentará uma liminar junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir a presença na sala-cofre, onde geralmente a contagem é monitorada apenas por técnicos da casa.

Veja também

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU
Mundo

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus
Pandemia

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus