Candidatos aprovados no ProUni Recife ainda aguardam bolsas

Por falha administrativa do Centro Universitário Estácio, quatro alunos aprovados pelo ProUni Recife, estão desde o dia 22 de agosto aguardando pela assinatura do termo da bolsa de estudos

EnemEnem - Foto: Bruno Campos/Arquivo Folha

Quatro candidatos inscritos no ProUni Recife - programa municipal que concede bolsas de estudos integrais em faculdades particulares - foram aprovados na segunda convocação, mas estão com dificuldades em regularizar a situação do auxílio no Centro Universitário Estácio, Campus Boa Viagem. Desde o dia 22 de agosto, inicio das aulas, os estudantes não assinaram o termo que oficializa o ingresso à instituição como bolsistas. De acordo com Raffael Henrique dos Santos, ele e mais três pretendentes a vagas para o curso superior de Direito e Sistema de Informação, levaram a documentação exigida pela Estácio dentro do prazo estabelecido pelo ProUni, mas após esse período foram comunicados que haviam sido reprovados. “Enquanto tentava resolver minha situação, o programa já estava na terceira convocação. Fiquei com medo de perder a vaga, e por vários dias fiquei sem ter um retorno deles”, afirmou.

Desempregado, Raffael mora no bairro do Ibura, e passou a ir todos os dias de bicicleta até a unidade de ensino para tentar resolver o problema. Ele também procurou a Gerência-Geral do Prouni Recife, que através de nota à reportagem, explicou que a “responsabilidade pelos procedimentos de matrícula, incluindo eventuais reprovações, é inteiramente da instituição de ensino. Caso a Gerência constate que eles têm direito a matrícula, entrará com contato com a faculdade para regularizar a situação”.

A reitora da Estácio, Fernanda Bittencourt reconheceu que os quatro candidatos não tiveram suas bolsas efetivadas por uma falha administrativa ocorrida apenas no Campus Boa Viagem. “Foi um atraso nosso. Identificamos o erro e as bolsas já estão sendo lançadas. Fizemos um oficio e entregamos ao Prouni. Os alunos vão poder frequentar as aulas sem nenhum prejuízo. Fizemos o lançamento de outro tipo de bolsa para que a matricula seja efetivada de imediato”, disse Fernanda, no último dia 22 de agosto. No entanto, o processo para gerar a matricula dos estudantes só foi efetivado no dia 31 de agosto e, ainda assim, o termo da bolsa de estudos não foi assinado até hoje.

Para Cacilda Pessoa do Amaral, também do curso de Direito, a falta de comunicação entre a universidade, o programa municipal e os candidatos têm gerado vários transtornos. “Sempre expus minha dificuldade com o custo de transporte, desde a entrega dos documentos solicitados. Tentei pedir uma declaração de vínculo para tirar a carteira de estudante, e, desta forma ter direito a meia passagem, mas o limite para os convocados até a terceira chamada expirou”, reclamou. Sem a assinatura do termo da bolsa de estudos, os alunos não tem como comprovar o vínculo. O ProUni Recife declarou que o prazo para inclusão do sistema seria na segunda-feira (3). Mas, no dia seguinte, Cacilda ao solicitar o Vem foi surpreendida. “Eles informaram que meu nome não consta como aluna do ProUni Recife. Procurei informações na secretaria da faculdade e disseram que isso seria resolvido nesta quinta-feira (6)”, declarou.

Veja também

Democratas e republicanos levam EUA a dívida recorde
Economia dos EUA

Democratas e republicanos levam EUA a dívida recorde

Caruaru começa campanha de vacinação contra a Covid-19
Vacina em Pernambuco

Caruaru começa campanha de vacinação contra a Covid-19