Vaticano

Cardeal condena 'comportamentos criminosos encobertos por tanto tempo' na Igreja

O anúncio foi feito durante a abertura de um simpósio de três dias sobre o sacerdócio realizado no Vaticano e inaugurado pelo papa Francisco

Papa Francisco conversa com o cardeal Marc Ouellet do Canadá (D) durante um simpósio sobre o sacerdócio na sala Paulo VI no Vaticano em 17 de fevereiro de 2022Papa Francisco conversa com o cardeal Marc Ouellet do Canadá (D) durante um simpósio sobre o sacerdócio na sala Paulo VI no Vaticano em 17 de fevereiro de 2022 - Foto: Tiziana Fabi / AFP

O influente cardeal canadense Marc Ouellet lamentou nesta quinta-feira (17) que "o comportamento criminoso tenha sido encoberto por tanto tempo para proteger a instituição", se referindo à crise enfrentada pela Igreja Católica devido aos abusos sexuais cometidos por padres em todo o mundo. 

“Estamos todos dilacerados e humilhados por essas questões cruciais que nos afetam todos os dias como membros da Igreja”, reconheceu o cardeal Ouellet, durante a abertura de um simpósio de três dias sobre o sacerdócio realizado no Vaticano e inaugurado pelo papa Francisco

O cardeal se referiu ao "drama de abuso sexual cometido por clérigos" em seu discurso aos cardeais, padres, leigos e religiosos presentes, além do público conectado à transmissão. 

"Deveríamos evitar falar sobre o sacerdócio quando os pecados e crimes cometidos por ministros indignos ocupam a primeira página da imprensa internacional (...)?", perguntou Oullet, prefeito da Congregação para os Bispos, entre os organizadores dos três dias dedicados a uma reflexão teológica sobre o papel do sacerdote.

"Esta é uma oportunidade favorável para expressar nosso mais profundo pesar e pedir desculpas mais uma vez às vítimas que viram suas vidas destruídas por um comportamento criminoso, que foi encoberto por tanto tempo e tratado com leviandade para proteger a instituição e os culpados em vez das vítimas", acrescentou Ouellet. 

“Este simpósio toma nota do clamor e da ira do povo de Deus, por isso estamos aqui para unir nossas vozes com aqueles que clamam por verdade e justiça”, disse ele. 

O papa Francisco não mencionou esta questão em seu discurso, que se concentrou nos "quatro pilares constitutivos da vida sacerdotal". 

Francisco insistiu no “dom” que constitui o “celibato” para os sacerdotes, que deve ser vivido como “santificação” e que “requer relacionamentos saudáveis”. 

“Sem amigos e sem oração, o celibato pode se tornar um fardo insuportável e um contra-testemunho da própria beleza do sacerdócio”, alertou.

Cerca de 500 pessoas participam do encontro internacional, o evento mais importante organizado no Vaticano desde o início da crise sanitária, realizado em um momento delicado para a figura do padre, manchada por denúncias de abuso sexual de menores em muitos países. 

Na terça-feira, associações de vítimas na Itália lançaram uma campanha sem precedentes para exigir uma investigação independente como as recentemente realizadas na Alemanha e na França, que revelaram a magnitude do fenômeno.

Veja também

Google suspende criação de imagens de pessoas por meio de IA após falha
TECNOLOGIA

Google suspende criação de imagens de pessoas por meio de IA após falha

Ucrânia reivindica ataque fatal em campo de treinamento russo
MUNDO

Ucrânia reivindica ataque fatal em campo de treinamento russo