Carlos Ferrera lança o disco 'Daquilo Que o Coração Come'

O lançamento ocorre neste sábado, no espaço Sinspire, no Bairro do Recife

Cantor Carlos FerreraCantor Carlos Ferrera - Foto: Júlio Morais/Divulgação

Inaugurando uma nova fase na sua carreira profissional e propondo novos caminhos para o mercado, o cantor e compositor Carlos Ferrera lança, neste sábado (18), seu primeiro disco "Daquilo Que o Coração Come", com o apoio do Funcultura. A estreia, que contará com performances de bailarinos, DJ, pocket show e sessão de autógrafos, ocorre no espaço Sinspire (praça do Arsenal, Bairro do Recife), a partir das 18h. A ocasião marca um momento de metamorfose: o artista, que já possui uma longa trajetória cultural, se aventura agora em experimentações com um disco centrado liricamente nos sentimentos e sonoramente na mistura de ritmos.

Com uma forte base eletrônica, a organicidade não deixa de fazer parte do disco de Carlos. O orgânico, aliás, consiste nas suas raízes, e o eletrônico foi um desafio que conseguiu superar com os parceiros William Paiva, Rogério Samico e Guilherme Assis (direção musical).

As batidas computadorizadas dividem espaço com os sons da bateria, guitarra e percussão. "É muito difícil definir o estilo do disco. Eu até estava nesse exercício de ouvir o que as pessoas me traziam quando ouviam. Mas eu considero um pop alternativo, com muita herança da MPB, que é uma carga que eu trago principalmente nas letras", enfatiza. 

Leia também:
Banda de Pau e Corda lança disco nas plataformas digitais
Safadão lançará álbum de músicas antigas e novo DVD
Com três hérnias de disco, Ludmilla não tem previsão de sair do hospital


O CD, que começou a ser produzido em 2017, contém 11 faixas, sendo seis compostas por Carlos em parceria com Barro, Jam da Silva e Júlio Morais. Outras canções são de artistas como Alex Guterres, Fábio Calamy, DJ Incidental, Muta, Pedro Saldanha e Márcio Oliveira. A intenção do cantor, que também assina a direção artística da produção, foi construir um roteiro com as mensagens de cada música. "Paixões, vontades, gostos, fé, lutas, amor, sede e fome, prazer e amor", são as palavras utilizadas para descrever a poética do novo trabalho. 

Influenciado pelos artistas negros norte-americanos, Carlos afirma seu gosto pelo som gringo, mas demonstra preocupação com o mercado local voltado para a música feita por artistas negros brasileiros. "Acho que a gente poderia ter espaços melhores, melhores relações com o poder público. A gente tem uma postura muito pequena, subserviente, que talvez ainda venha da colônia. Então temos artistas brilhantes, reconhecidos nacionalmente e internacionalmente, como Jam da Silva, e a gente não reverencia essas pessoas", dispara o músico.

Durante o ano, o cantor ainda pretende investir no audiovisual. Quatro clipes serão lançados, dentre eles os feitos para as faixas "O que me faz bem", "Daquilo que o Coração Come" e "Mahakaruna". 

História 

A trajetória de Carlos é longa e o disco simboliza uma metamorfose, como ele descreve. Desde pequeno escreve poesia e aos dezessete anos iniciou seus estudos vocais no Conservatório Pernambucano, onde teve contato com músicos como Hugo Linns e banda Cobra Norato, tendo trabalhado com o produtor Juliano Holanda.

Como ator, participou de vários espetáculos como Auto das Portas do Céu, de Ronaldo Correia de Britto e Histórias de Além-Mar co-produção Brasil Holanda. No cinema, participou de Esquecimento (Gustavo Monteiro); Amor, Plástico e Barulho (Renata Pinheiro); Soberanos do Congo (Raoni Moreno); Soberanos da Resistência (Marcus Paiva) e 1817 – A Revolução Esquecida (Tizuka Yamasaki).

O artista múltiplo coleciona linguagens: a dança também fez parte da sua história, quando integrou o grupo Experimental, Compassos - Cia de Dança e Grial.
"Todas essas vivências me deram autoridade e habilidades específicas para lidar com a minha arte: A música", declara. Trabalhou com artistas como Tibério Azul, , Romero Ferro, Ayrton Montarroyos, Karynna Spinelli e Nena Queiroga, entre outros de uma lista grande.

Serviço

Lançamento do disco "Daquilo que o coração come" - com Pocket show Carlos Ferrera, Bailarinos, DJs e sessão de autógrafos
Neste sábado (18), às 18h
No Sinspire (rua da Guia, 234 - Bairro do Recife)
Gratuito, sujeito à lotação do espaço

 

Veja também

Por margem apertada, Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump
EUA

Por margem apertada, Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump

Corpos de vítimas de acidente com ônibus só devem chegar ao Pará nesta quarta
Tragédia

Corpos de vítimas de acidente com ônibus só devem chegar ao Pará nesta quarta