Cartões lideram opções de pagamento no Brasil

Segundo a Associação Brasileira de Cartões de Crédito, o crescimento do setor em 2017 foi de 12,6%.

Os meios eletrônicos de pagamento representam 32% do consumo das famílias brasileiras.Os meios eletrônicos de pagamento representam 32% do consumo das famílias brasileiras. - Foto: Reprodução/Pixabay

Os meios eletrônicos de pagamento hoje representam 32% do consumo das famílias no País. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), a maior parte dos brasileiros prefere usar cartões para efetivar compras. Este tipo de pagamento já supera os realizados em dinheiro, que somaram R$ 1,31 trilhão em 2017 ou cheques (R$ 751 bilhões). O setor, que cresceu 12,6%, movimentou R$ 1,36 trilhão no período. No Nordeste, o percentual chegou a 12,5%, alcançando R$ 178,8 bilhões, valor que só perde para as transações do Sul e Sudeste.

“Crescemos 12,6%, enquanto o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil cresceu 1%, porque conquistamos novos usuários e porque quem já era cliente passou a usar mais o cartão”, explicou o presidente da Abecs, Fernando Chacon, em entrevista recente publicada no caderno de Economia da Folha de Pernambuco. Ainda de acordo com o executivo, 55% dos consumidores usam o cartão pelo menos uma vez na semana.

É PRECISO MAIS CLAREZA

A expectativa de crescimento do setor em cinco anos deve alcançar 60% do consumo no País. Esse aumento, no entanto, vai exigir mais transparência da indústria. Prova disso é que o Banco Central já tem cobrado medidas de redução dos juros e agora quer que as faturas dos cartões de crédito também sejam mais claras. “Precisamos que o consumidor tome consciência da sua vida financeira e isso passa por uma simplificação das faturas, que hoje são muito complexas, têm muitos números”, anunciou à Folha de Pernambuco o diretor de relacionamento institucional e cidadania do BC, Isaac Ferreira. Ele ainda disse que, como hoje não há uma regulamentação para este tipo de conta, o BC está em “tratativas com a Abecs para simplificar as faturas que os consumidores recebem”.

Criar um padrão único para esta conta, no entanto, parece difícil para a associação. “Cada banco tem o seu sistema e cada cliente tem um perfil de consumo diferente. Então, não acreditamos em uma padronização”, continuou o presidente da Abecs.
Cerca de 80% das informações que aparecem na fatura são exigidas por lei, como o valor total, o mínimo e o possível parcelamento do débito, o que limita o espaço disponível para modificação. Mesmo assim, a associação garantiu que é possível deixar a conta mais clara e prevê mudanças no sistema ainda neste ano. “Estamos conversando com os órgãos de defesa do consumidor. Vamos melhorar a qualidade da informação que é oferecida ao usuário”, prometeu o executivo.

Nesta categoria, a marca Hipercard foi a mais lembrada na pesquisa realizada pelo Ipespe.

(Texto de Marina Barbosa publicado na Folha de Pernambuco no dia 14 de março de 2018).

Veja também

Anvisa atualiza exigências para armazenamento de vacina da Pfizer
Coronavírus

Anvisa atualiza exigências para armazenamento de vacina da Pfizer

Governo negocia com a Pfizer mais 100 milhões de doses de vacina contra Covid
Vacina

Governo negocia com a Pfizer mais 100 milhões de doses de vacina contra Covid