Tragédia

Casa da República dará assistências a envolvidos no caso do desabamento do Edifício Leme, em Olinda

Em nota, a Prefeitura de Olinda informou que "se solidariza com as famílias das vítimas e vai continuar atuando para que os prédios condenados do município sejam totalmente demolidos pelas seguradoras responsáveis"

Bombeiros atuam no resgates das vítimas de desabamento de prédio em OlindaBombeiros atuam no resgates das vítimas de desabamento de prédio em Olinda - Foto: Paullo Allmeida / Folha de Pernambuco

A equipe de Assistência Social da Prefeitura de Olinda está de prontidão desde o desabamento parcial do Edifício Leme, no bairro de Jardim Atlântico, na noite da última quinta (27). A gestão colocou à disposição o espaço de acolhimento Casa da República. Nela, roupas, alimentação, banho e outros serviços estão sendo disponibilizados aos envolvidos no caso.

No caso da vítima fatal de 13 anos, a irmã do jovem foi encaminhada para o Centro de Atenção Psicossocial Nise da Silveira, em Rio Doce, onde, entre outros atendimentos, está recebendo acompanhamento psicológico.

Em nota, a Prefeitura de Olinda informou que “se solidariza com as famílias das vítimas e vai continuar atuando para que os prédios condenados do município sejam totalmente demolidos pelas seguradoras responsáveis”.

O que se sabe sobre a tragédia

O Edifício Leme, localizado na rua Acapulco, no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, desabou parcialmente por volta das 22h dessa quinta-feira (27).

Chamas foram vistas no prédio, que possui térreo e mais três andares, com quatro apartamentos por pavimento, sendo 16 moradias ao todo. 

Moradores da rua onde o imóvel está localizado afirmam ter ouvido o barulho do desabamento, além de gritos e pessoas chorando entre os escombros. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou ao local por volta das 22h35. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também enviou ambulâncias ao local.

Por volta das 23h17, o corpo de um homem de 32 anos foi encontrado nos escombros. Outras quatro pessoas, - três mulheres e um homem -, além de um cachorro foram resgatados do local com vida.

Duas mulheres de 25 anos, que não tiveram os nomes divulgados, foram levadas para a Upa de Olinda, por volta das 0h desta sexta-feira (28). Elas apresentavam escoriações, receberam atendimento e foram liberas por volta das 2h.

Uma outra mulher de 30 anos foi levada para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, com um trauma leve no pescoço. Ela segue em observação com quadro geral de saúde considerado estável, sem gravidade.

Além das mulheres, um homem de 45 anos, vítima do desabamento, foi encaminhado para a Unidade de Trauma do Hospital da Restauração, na área central do Recife, com uma fratura na mão. Ele passou por cirurgia e o quadro de saúde é estável.

Prefeito e governadora se manifestam

Após o ocorrido, o prefeito de Olinda, Professor Lupércio (Solidariedade), se pronunciou, por meio das redes sociais, informando que equipes de todas as secretarias do município estavam mobilizadas para prestar assistência às vítimas.

A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB), também usou as redes sociais para falar sobre o acidente. Ela informou que a gestão “prestará todo apoio necessário”.

Segundo corpo achado em meio aos escombros
Durante a madrugada da sexta, o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo de um adolescente de 13 anos entre os escombros, subindo para dois o número de vítimas fatais da tragédia.

Terceiro óbito é confirmado

O corpo de uma mulher, cuja idade ainda não foi divulgada, foi encontrado na área central dos escombros, no início da tarde desta sexta-feira (28).

Quinta vítima é retirada do local

Os trabalhos de buscas continuaram e, por volta das 8h20, o quinto sobrevivente do desabamento foi resgatado. O homem, identificado como Ebenezer, de 53 anos, foi levado consciente para o Hospital da Restauração, com um trauma na perna esquerda e vai passar por cirurgia. O estado de saúde ele é estável.

Ebenezer foi a última pessoa retirada com vida do local até as 11h desta sexta-feira (28).

Buscas por desaparecidos

Cães farejadores auxiliam nas buscas de outras vítimas que possam estar soterradas nos escombros do prédio. Quatro pessoas estão sendo procuradas. 

Interdição do prédio foi feita há 23 anos

Por meio de nota, a Prefeitura de Olinda disse que o edifício havia sido interditado pela Defesa Civil em 2000. A interdição ocorreu após vistoria conjunta entre o Governo de Pernambuco, município e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Os envolvidos exigiram que a seguradora do imóvel, a Caixa Seguradora, realizasse a demolição do prédio, o que não ocorreu.

Na tarde desta sexta-feira (28), a Caixa Seguradora informou que está apurando eventuais responsabilidades sobre o ocorrido. Confira a nota: 

Nota CAIXA Seguradora

A empresa se solidariza com as famílias e informa que está adotando as medidas necessárias para atendimento e suporte aos envolvidos, ao passo em que apura eventuais responsabilidades.

Informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros:

Vítimas resgatadas com vida

Três mulheres e dois homens:

- vítima de sexo feminino, 25 anos (UPA Olinda).
- vítima de sexo feminino, 25 anos (UPA Olinda).
- vítima de sexo feminino, 30 anos (Hospital Miguel Arraes).
- vítima de sexo masculino, 44 anos (HR).
- vítima de sexo masculino, 53 anos (HR).

Óbitos

- Duas vítimas de sexo masculino (uma de idade desconhecida e outra de 13 anos).
- Uma vítima do sexo feminino (de idade desconhecida).

Veja também

Papa dá pontapé inicial à primeira Jornada Mundial das Crianças
Papa

Papa dá pontapé inicial à primeira Jornada Mundial das Crianças

Base Aérea de Canoas recebe voos comerciais a partir de segunda-feira (25)
Canoas

Base Aérea de Canoas recebe voos comerciais a partir de segunda-feira (25)

Newsletter