Caso Tamarineira: Justiça ainda vai decidir se acusado de provocar acidente irá a júri popular

Após segunda audiência de instrução, MPPE terá cinco dias para apresentar as alegações finais e a defesa terá mais cinco dias, segundo informou a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Pernambuco

Motorista de carro envolvido em acidente na Zona NorteMotorista de carro envolvido em acidente na Zona Norte - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A decisão sobre se o universitário João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, acusado de provocar o grave acidente que matou três pessoas no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife, em 26 de novembro de 2017, irá ou não a júri popular sairá em, pelo menos, 10 dias. Após segunda audiência de instrução, realizada nesta segunda-feira (21) no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra, área central do Recife, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) terá cinco dias para apresentar as alegações finais e a defesa terá mais cinco dias, segundo informou a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

A primeira audiência de instrução aconteceu no dia 7 de maio. Na ocasião, a juíza Fernanda Moura de Carvalho decidiu pela remarcação devido à ausência de uma testemunha de defesa, que viajou para São Paulo. Nesta segunda, a testemunha compareceu e prestou depoimento.

Na primeira parte da audiência do dia 7, que durou cerca de seis horas, foram ouvidas 14 testemunhas de acusação e nove de defesa.

O acidente
Ocorrida em 26 de novembro de 2017, a colisão provocou a morte da funcionária pública Maria Emília Guimarães, de 39 anos; do filho dela, Miguel Neto, de 3 anos; e da funcionária Roseane Maria de Brito Souza, de 23 anos, que estava grávida. O marido de Maria Emília, o advogado Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 45 anos, e a filha deles Marcela, de 5 anos, ficaram gravemente feridos, mas sobreviveram. A menina ficou dois meses internada e com sequelas devido ao grande trauma.

Veja também

Presidente do Chade morre após ser ferido na frente de batalha
Morte

Presidente do Chade morre após ser ferido na frente de batalha

Sancionada lei sobre remessa de patrimônio genético ao exterior
Ciência

Sancionada lei sobre remessa de patrimônio genético ao exterior