Coceira

Casos de lesões de pele que causam coceira se aproximam de 500 em Pernambuco

CoceiraCoceira - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou, nesta terça-feira (7), uma nova atualização do total de casos de lesões de pele que causam coceira no Estado. 

Agora, segundo a pasta, são 485 casos sintomáticos de erupção cutânea, distribuídos em 17 cidades [veja a lista completa abaixo].

O Recife lidera o total de notificações, com 231. Em seguida, estão Camaragibe e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RM), com 84 e 74 registros, respectivamente. 

Os casos são registrados no Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs), da SES-PE. Notificações de municípios devem ser encaminhados ao sistema. De acordo com a secretaria, os casos nas cidades são acompanhados.

"Relatos de casos de natureza similar de outros municípios estão sendo constantemente verificados junto às secretarias municipais, em parceria com as Gerências Regionais de Saúde (Geres), para notificação oficial", explicou. 

Os casos continuam sob investigação clínica, epidemiológica e laboratorial pelos municípios, com apoio da equipe técnica da SES-PE, Lacen-PE e especialistas.

Por fim, a secretaria salienta que "está vigilante e dando todo o apoio necessário para resolução dos casos".

Cidades com casos registrados pela SES-PE
Aliança - 2
Araçoiaba - 1
Cabo de Santo Agostinho - 17
Camaragibe - 84
Carpina - 1
Escada - 1
Igarassu - 10
Ipojuca - 7
Jaboatão dos Guararapes - 74
Limoeiro - 2
Lagoa do Carro - 1
Olinda - 36
Paulista - 10
Petrolina - 2
Recife - 231
São José do Egito - 1
São Lourenço da Mata - 5

Veja também

Após pressão de usuários, Twitter anuncia novo recurso para combater Fake News no Brasil
FAKE NEWS

Após pressão de usuários, Twitter anuncia novo recurso para combater Fake News no Brasil

Chile anuncia mudanças no isolamento e gestão da pandemia por variante ômicronVariante ômicron

Chile anuncia mudanças no isolamento e gestão da pandemia por variante ômicron