ataques terroristas

Catar tenta mediar troca de reféns entre Hamas e Israel; comunidade internacional se manifesta

Plano incluiria apenas troca de mulheres e crianças, segundo fontes ouvidas em anonimato por agências internacionais; autoridade israelense negou diálogo com extremistas

Ataque supresa do Hamas a Israel e contra ofensiva deixam mais de 1.200 mortosAtaque supresa do Hamas a Israel e contra ofensiva deixam mais de 1.200 mortos - Foto: AFP

Em meio ao conflito aberto entre Israel e o grupo extremista Hamas, que já deixou mais de 1.200 mortos desde o ataque terrorista do último sábado (7), membros da comunidade internacional estão mobilizados em diferentes frentes na tentativa de evitar uma escalada de hostilidades ainda maior no Oriente Médio. Nesta segunda-feira (9), representantes do governo do Catar iniciaram uma tentativa de mediação de troca de prisioneiros entre os inimigos, algo que Israel parece pouco inclinado a aceitar.

De acordo com fontes ouvidas em anonimato por agências estrangeiras, representantes do governo do Catar instaram os militantes palestinos a liberar crianças e mulheres que foram retiradas à força de Israel. Segundo detalhou a Reuters, as mulheres e crianças tomadas como reféns no sábado seriam trocadas por 36 mulheres e crianças palestinas detidas em Israel. Uma fonte citada pela agência chinesa Xinhua confirmou o plano, no domingo (8), e disse que a negociação contar com apoio dos EUA.

Uma fonte do governo israelense, ouvida pela Jewish News Syndicate, negou qualquer intenção do país em negociar uma troca de prisioneiros ou manter qualquer janela de diálogo com os extremistas.

Oficialmente, os Estados Unidos declararam apoio total ao direito de Israel de se defender da agressão do grupo extremista. O presidente americano, Joe Biden, prometeu ajuda militar aos aliados históricos, incluindo o envio de um porta-aviões para a região.

Embora as autoridades americanas não tenham mencionado diretamente uma participação ou endosso à negociação sobre troca de prisioneiros, uma movimentação diplomática intensa acontece desde o sábado. O secretário de Estado americano, Antony Blinken, manteve contatos com autoridades de Turquia, Egito, Emirados Árabes e outra série de países da região para exigir uma condenação do uso de violência pelo Hamas e pedir que trabalhem pela contenção dos ataques.

Veja também

Sono afeta o risco de demência em pessoas com mais de 40 anos
ciência

Sono afeta o risco de demência em pessoas com mais de 40 anos

Prouni 2º semestre: inscrições começam na próxima terça-feira (23)
educação

Prouni 2º semestre: inscrições começam na próxima terça-feira (23)

Newsletter