Memória

Cemitérios do Recife se preparam para celebrações do dia de Finados

Por conta da pandemia, data será lembrada de forma bem diferente em relação aos anos anteriores

Cemitérios terão programação diferente por conta da pandemiaCemitérios terão programação diferente por conta da pandemia - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O dia de Finados, celebrado na próxima segunda-feira (2), costuma gerar grande aglomeração e movimentação de pessoas nos cemitérios. No entanto, este ano o cenário será diferente por conta da pandemia da Covid-19.

Segundo a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), para garantir uma maior segurança aos visitantes, este ano não haverá missa e outros eventos religiosos nos cemitérios públicos do Recife.

Para a data, os cemitérios contarão com um reforço nos serviços de limpeza e manutenção, inclusive com álcool em gel para higienização das mãos dos visitantes nos acessos aos cemitérios. A Emlurb montou um esquema especial de limpeza, que terá início às 6h, com expectativa de término às 22h. Ao todo, serão 230 servidores trabalhando nos cemitérios e também nas ruas do entorno. No Recife, ao todo, cinco cemitérios são de responsabilidade da Emlurb: Casa Amarela, Parque das Flores, Santo Amaro, Tejipió e Várzea. 
 

A reportagem da Folha de Pernambuco foi até o cemitério de Santo Amaro, no bairro de mesmo nome localizado na área central do Recife, para verificar a movimentação. No local, o maior fluxo são de pessoas que realizam a limpeza, como, por exemplo, o autônomo Inaldo Luiz, que trabalha há mais de 20 anos fazendo a limpeza de jazigos.

“Tem muita demanda para limpeza dos jazigos este ano. Terminando este já tem outros. Este ano está indo tudo bem. Meus clientes são todos do cemitério de Santo Amaro”, relatou à reportagem enquanto fazia a repintura do jazigo da família de Ana Saraiva, 71. “Todo ano eu contrato alguém para fazer essa limpeza, mesmo com a Covid-19 temos que fazer. Se não cuidar, o tempo acaba com ele [o jazigo]”, afirmou Ana. 

Do lado de fora, o comércio não está muito esperançoso com a data. É que a pandemia deve fazer com que o movimento de pessoas seja menor que o ano passado.

“Com essa questão de pandemia estamos preocupados. A gente ainda não sabe como vai ser o serviço com relação a demanda. Ano passado já foi bem fraco e esse ano deve ser ainda pior, infelizmente. O pessoal, no entanto, só começa a vir depois do dia 31. Até agora não tem muito fluxo. Pelo que estamos acompanhando tem muitos clientes dizendo que não vêm por conta da pandemia”, explica o proprietário da Moura Flores, Vítor Moura, ainda dizendo que uma logística será montada no feriado para não gerar aglomeração no local. 

Sinalização
Os cemitérios de Santo Amaro e Parque das Flores também oferecem uma sinalização que permite ao visitante ter visão geral de todo o espaço, por meio de um mapa esquematizado com os nomes das alamedas e ruas, facilitando o deslocamento dos pedestres. A iniciativa está em andamento no cemitério da Várzea e deve ser concluída na primeira quinzena de novembro.

Em Santo Amaro, além do painel, foram instaladas em locais estratégicos, placas indicativas dos principais pontos: velório principal, velório popular, administração, capela, saída e nomes das ruas. Outra novidade foi a instalação, neste ano, de placas com a biografia de nomes relevantes da história da cidade indicadas no painel principal.

Veja também

Plantas podem significar risco para os pets; saiba quais espécies merecem atenção
FOLHA PET

Plantas podem significar risco para os pets; saiba quais espécies merecem atenção

Quase 100 baleias-piloto morrem encalhadas na Nova Zelândia
Mundo

Quase 100 baleias-piloto morrem encalhadas na Nova Zelândia