Inclusão

Central Única das Favelas distribui chips para combater isolamento digital nas comunidades

Cerca de 8 mil chips serão distribuídos em comunidades do Recife e em parcerias com instituições de ensino

Distribuição de chips em comunidades do RecifeDistribuição de chips em comunidades do Recife - Foto: Elimar Caranguejo

Com foco em minimizar os impactos da pandemia da Covid-19 nas favelas pernambucanas, a Cufa Pernambuco mobiliza, desde abril de 2020, uma série de voluntários e parcerias que juntos já atenderam mais de 120 mil famílias de 500 comunidades da Região Metropolitana do Recife. Agora, no mês de setembro, a Central encara mais um desafio: superar a barreira do isolamento digital nas favelas, onde, segundo o Data Favela, 84% dos internautas de comunidades acabam com o pacote de dados muito antes do programado. 

Para isso, a CUFA em Pernambuco lança o “Alô Soci, que deverá atender cerca de 8 mil pessoas das comunidades. Em uma parceria inédita com a Tim, Alô Social e a Comunidade Door, serão instalados pontos de Wi-fi livre, distribuição de chips com 1GB de internet livre, 24h por dia de WhatsApp gratuito e 24h por dia de ligações ilimitadas para qualquer operadora do Brasil. Nessa lista de apoiadores, a CUFA conta ainda com apoio da Unesco na seleção de conteúdos educativos e culturais para reforçar o acesso remoto à educação para aulas online.

Nesta quarta (28), a partir das 10h, a CUFA Pernambuco celebra ao lado da Universidade Católica de Pernambuco - Unicap, a distribuição de 1000 chips para os alunos bolsistas da instituição. As ações ainda se estendem a várias comunidades como  Casa Amarela, Cidade Tabajara, Nova Tiúma, Prazeres nos próximos dias. Favelas do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Igarassu, Escada, São Lourenço da Mata e Cabo de Santo Agostinho também estão na rota da CUFA Pernambuco. 

A nível nacional, neste primeiro momento, serão doados 500 mil chips, com objetivo de conectar pessoas que não têm acesso à Internet, visto que um em cada quatro brasileiros não tem acesso à Internet, mostra pesquisa do IBGE, esse número representa 46 milhões de pessoas que não acessam  a rede.  “Desde o começo da pandemia estamos distribuindo cestas básicas e de higiene, álcool gel, botijão de gás e, agora, vamos democratizar um pouco mais o acesso à Internet. Entre as várias vantagens de estar conectado, é um alívio saber que nossos estudantes vão conseguir ter acesso as aulas e continuar seus estudos com segurança na pandemia”, comenta Altamiza Melo, Presidente da CUFA Pernambuco. A ação é uma conquista da Cufa Brasil que deve atender cerca de 4,5 milhões de moradores das comunidades de todo o país.

Cuidando de Gente
A iniciativa circula a periferia da Região Metropolitana do Recife com a missão de diminuir os impactos da crise econômica que a pandemia da COVID-19 instaura na cidade, como a falta de acesso à alimentos e materiais de proteção como máscaras e produtos de higiene da famílias em vulnerabilidade social. Ações de sanitização e doação de refeições também integram as ações que acontecem periodicamente em cada favela, que recebe junto de cada kit, manuais de prevenção e orientações contra o contágio do coronavírus. 

“Precisamos levar esses cuidados para os nossos. O impacto da pandemia nos moradores de favela precisa ser amenizado. Nos organizamos junto ao poder público e à iniciativa privada para promover ações coordenadas para ajudar as favelas da RMR durante essa período através de uma grande rede que monitora e intervém em cada localidade baseada nas necessidades encontradas”, comenta Altamiza Melo, presidente da CUFA em Pernambuco. 

Ao todo, quarenta mobilizadores espalhados atuam nas mais de 500 favelas atendidas. Um total de 114 mil pessoas dos municípios de Olinda, Camaragibe, São Lourenço, Paulista, Igarassu e Jaboatão dos Guararapes foram beneficiados pelo projeto. Cestas básicas, kits de higienes, máscaras, álcool em gel a 70% são recebidos por parceiros e patrocinadores e distribuídos a cerca de 24 mil famílias espalhadas em 50 comunidades.  

No começo de agosto, o projeto deu início a mais uma etapa na luta ao combate ao contágio do novo coronavírus. Mil kits foram doados pelo Governo do Estado numa iniciativa para otimizar o atendimento e conter o avanço da pandemia. A iniciativa prevê ainda a oferta de vagas no Centro de Acolhimento e Isolamento Social - CAIS para receber aqueles que estão infectados e precisam fazer essa etapa de distanciamento com conforto e segurança. O espaço tem apoio do Todos pela Educação, patrocinado pela Fundação Itaú e pode receber até 60 pessoas. O investimento dessa estrutura é da ordem de R$3,5 milhões. 

Vencer a barreira do isolamento social e a ativação econômica da favela com a instalação de pontos de conectividade, distribuição de chips e articulação de treinamentos profissionais estão no plano de ações da CUFA, que estenderá suas ações a municípios de outras regiões do Estado como o Litoral Sul e o Agreste.

O projeto conta com apoio da iniciativa privada, da Assembleia Legislativa do Estado, do Governo do Estado através da Secretaria de Políticas de Prevenção a Violência e as Drogas, Instituto Galo da Manhã e do programa ONU Habitat. 

Veja também

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil
VACINAÇÃO

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo
VACINAÇÃO

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo