JUSTIÇA

Chacina de Poção: filho de conselheiro tutelar morto fala em desfecho do caso para "enterrar" pai

"Só vamos parar quando, realmente, a justiça for feita", diz Lindenberg filho 

Homem é filho do conselheiro tutelar Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, morto aos 54 anos de idadeHomem é filho do conselheiro tutelar Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, morto aos 54 anos de idade - Foto: Ricardo Fernandes/Folha de Pernambuco

O desfecho do julgamento do réu acusado de ser o atirador da Chacina de Poção, que entrará em seu segundo dia na manhã desta terça-feira (27), é encarado como o "enterro" das vítimas fatais por Lindenberg Filho, filho de um dos três conselheiros tutelares assassinados, Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, à época com 54 anos.

Além dele, foram mortos os conselheiros José Daniel Farias Monteiro, de 31 anos, e Carmem Lúcia da Silva, de 38. Ana Rita Venâncio, de 62 anos, também foi executada. Ela era a avó materna de Ana Cláudia, uma menina de três anos, que estava no carro e sobreviveu ao episódio. A mandante dos assassinatos é a avó paterna da criança, a oficial de Justiça Bernadete Siqueira Britto de Rocha.

"A gente fez questão de estar aqui, porque há nove anos a gente busca justiça. Desde o início a família vem acompanhando, e nós só vamos parar quando, realmente, a justiça for feita e todo mundo pague por esse crime. É como se a gente ainda não tivesse enterrado o meu pai e os colegas dele, nem dona Ana Rita. A gente acha que, com o término do júri popular, vai conseguir dar o descanso eterno", diz o filho, bastante emocionado. 

Julgamento
O julgamento de Wellington Silvestre dos Santos, também conhecido como “chave de cadeia”, foi suspenso em seu primeiro dia pouco antes das 18h desta segunda-feira (26), com previsão para ser retomado às 9h desta terça-feira (27), no Fórum Thomaz de Aquino Cyrillo Wanderley, no bairro de Santo Antônio, localizado na área central do Recife.

O júri popular é formado por sete mulheres, e Wellington Silvestre senta à cadeira do réu sob a acusação de ter matado a tiros de arma de fogo quatro pessoas dentro do Sítio Cafundó. O crime aconteceu na noite do dia 6 de fevereiro de 2015 no Agreste de Pernambuco.

Veja também

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono
Política

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava
Bonobos

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava

Newsletter