Eleições 2024

Chefe da inteligência americana alerta para o aumento das ameaças às eleições de 2024

Haines observou que a Rússia, a China e o Irã são os piores agressores

Bandeira dos EUABandeira dos EUA - Foto: Reprodução/Internet

As eleições presidenciais de 2024 nos Estados Unidos estão sob a ameaça de um número crescente de agentes estrangeiros que utilizam métodos cada vez mais sofisticados para gerar interferência, disse nesta quarta-feira (15) Avril Haines, diretora da inteligência nacional americana.

Haines observou que a Rússia, a China e o Irã são os piores agressores, mas acrescentou que o governo nunca esteve tão preparado como agora para proteger a democracia americana da influência estrangeira.

“Há um número crescente de atores estrangeiros, incluindo entidades não estatais, que estão tentando se envolver em atividades de influência eleitoral”, disse ela ao Comitê de Inteligência do Senado, durante uma audiência sobre ameaças às eleições de 2024.

De acordo com a diretora de inteligência, os agentes estatais estrangeiros utilizam cada vez mais empresas privadas para conduzir operações de influência eleitoral, tornando mais difícil rastrear aqueles que estão por trás desses esforços. 

Haines alertou que as inovações no domínio da inteligência artificial (IA) têm permitido que agentes estrangeiros produzam mensagens políticas aparentemente autênticas, com maior eficiência, em maior escala e com conteúdos adaptados a diferentes línguas e culturas.

“E, claro, os principais atores estrangeiros envolvidos em atividades de influência dirigidas aos Estados Unidos em conexão com as nossas eleições são a Rússia, a República Popular da China e o Irã”, disse ela.

"Especificamente, a Rússia continua a ser a ameaça externa mais ativa às nossas eleições."

O alerta de Haines surge no âmbito de uma série de audiências parlamentares antes das eleições presidenciais de novembro, que quase certamente serão uma repetição das eleições de 2020 entre o democrata Joe Biden e o ex-presidente republicano Donald Trump.

O presidente do comitê, senador Mark Warner, disse na audiência que adversários como o presidente russo, Vladimir Putin, estavam “mais motivados do que nunca” para interferir.

“Putin compreende claramente que influenciar a opinião pública e moldar as eleições nos Estados Unidos é uma forma econômica de minar o apoio americano e ocidental à Ucrânia”, declarou Warner.

O congressista apoiou as preocupações de Haines de que o áudio e o vídeo alimentados por IA – como uma chamada automática falsa em que Biden aparentemente deu aos eleitores a data errada para as primárias de New Hampshire em janeiro – estavam aumentando a escala e a sofisticação dos ataques.

Veja também

Milhares protestam contra excesso de turistas em Mallorca, Espanha
Espanha

Milhares protestam contra excesso de turistas em Mallorca, Espanha

Deslizamento de terras na Papua-Nova Guiné deixou centenas de mortos, calculam autoridades
Papua-Nova Guiné

Deslizamento de terras na Papua-Nova Guiné deixou centenas de mortos, calculam autoridades

Newsletter