CRISE NA UCRÂNIA

China acusa EUA de 'jogar lenha na fogueira' na crise da Ucrânia

Porta-voz afirma que os Estados Unidos não param de vender armas para a Ucrânia

Vladimir Putin e Xi Jinping, presidentes da Rússa e China respectivamenteVladimir Putin e Xi Jinping, presidentes da Rússa e China respectivamente - Foto: Alexei Druzhinin / Sputnik / AFP

A China fez duras críticas, nesta quarta-feira (23), ao papel dos Estados Unidos na crise ucraniana, acusando Washington de "jogar lenha na fogueira".

"Os Estados Unidos não param de vender armas para a Ucrânia, aumentando a tensão e criando pânico", criticou Hua Chunying, uma porta-voz do Ministério chinês das Relações Exteriores.

"A questão-chave é saber qual papel os Estados Unidos desempenham nas atuais tensões na Ucrânia", afirmou a porta-voz. 

"Alguém joga lenha na fogueira e acusa os outros. É algo imoral e irresponsável", acrescentou Hua. 

Essas declarações surgem dois dias depois do reconhecimento, por parte da Rússia, de duas regiões separatistas do leste da Ucrânia e do anúncio de sanções feito por Washington. E vão na direção contrária da moderação demonstrada pelo governo chinês na segunda-feira (21), quando pediu às partes que "deem sinais de contenção".

Respondendo a uma pergunta sobre a possibilidade de a China impor sanções à Rússia, Hua acrescentou que "elas nunca foram um meio eficaz para resolver problemas". 

Na terça-feira (22), Estados Unidos, União Europeia, Reino Unido e outros países anunciaram sanções contra a Rússia, dirigidas, principalmente, a bancos, oligarcas e deputados.

Estas sanções iniciais são uma resposta à decisão do presidente Vladimir Putin de reconhecer a independência de Donetsk e Lugansk.

Trata-se de uma primeira rodada de medidas punitivas, de menor importância em relação às que poderão ser adotadas no caso de uma invasão da Ucrânia.

O conflito no leste da Ucrânia, que já dura oito anos, deixou mais de 14.000 mortos até agora.

Veja também

Google suspende criação de imagens de pessoas por meio de IA após falha
TECNOLOGIA

Google suspende criação de imagens de pessoas por meio de IA após falha

Ucrânia reivindica ataque fatal em campo de treinamento russo
MUNDO

Ucrânia reivindica ataque fatal em campo de treinamento russo