Notícias

China apoia que OMS avalie a 'resposta mundial' à pandemia

A declaração foi feita após a forte pressão internacional, sobretudo por parte dos Estados Unidos e da Austrália, a favor de uma investigação sobre o surgimento do patógeno na China

Bandeira da China Bandeira da China  - Foto: Image Source/Folhapress

A China afirmou nesta sexta-feira (8) que apoia a criação, "após o fim da pandemia", de uma comissão liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para avaliar "a resposta mundial" ao novo coronavírus.

A declaração foi feita após a forte pressão internacional, sobretudo por parte dos Estados Unidos e da Austrália, a favor de uma investigação sobre o surgimento do patógeno na China.

A revisão deverá acontecer de forma "aberta, transparente e inclusiva", disse Hua Chunying, porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores. A porta-voz afirmou que a iniciativa precisa ser validada pela Assembleia Mundial da Saúde da OMS ou seu conselho executivo, os dois principais órgãos da instituição, com sede em Genebra.

Leia também:
Cientistas mapeiam coronavírus em morcegos em ação contra novas epidemias
China e EUA se comprometem a implementar acordo comercial apesar da pandemia
EUA ameaça a China caso não respeite acordos comerciais


Ela também destacou um ponto importante: não se trata de uma investigação direcionada especificamente para a China, e sim de uma avaliação sobre o conjunto de países do mundo. Nas últimas semanas, vários países, como França, Alemanha ou Reino Unido, pediram ao governo chinês que demonstre mais transparência em sua gestão da epidemia.

Outras nações, como Estados Unidos e Austrália, pediram uma investigação internacional na China sobre a origem do vírus. Pequim rejeitou os pedidos e denunciou uma "politização" da crise de saúde.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas
Pandemia

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas

Marcha da maconha retorna às ruas depois de dois anos de pandemia
Manifesto

Marcha da maconha retorna às ruas depois de dois anos de pandemia