Temporal

Chuvas fortes na RMR alagam vias e causam transtornos

O temporal confirma o aviso hidrometeorológico emitido pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) na quarta-feira (12)

Chuvas fortes na Região Metropolitana do RecifeChuvas fortes na Região Metropolitana do Recife - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

As chuvas fortes da madrugada e manhã desta quinta-feira (13) alagaram várias vias do Recife e Região Metropolitana e causaram transtornos e pontos de retenção no trânsito.
  
O temporal confirma o aviso hidrometeorológico emitido pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) na quarta-feira (12) válido para RMR, Zona da Mata Norte, Zona da Mata Sul e Arquipélago de Fernando de Noronha.


 
Nesta quinta, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) atualizou o alerta que havia emitido na véspera. Segundo o órgão, há "grande perigo" de acumulado de chuvas até, pelo menos, as 18h desta quinta - com precipitação superior a 60 mm por hora ou 100 mm por dia. 

As chuvas, segundo a Apac, são causadas pela ação do Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL), um sistema meteorológico comum nesta época do ano.

No Recife, a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) informou pelo menos seis pontos de alagamento:

- avenida Norte, em direção ao Centro, na altura do Senai
- avenida Agamenon Magalhães, sentido Olinda, próximo ao Parque Amorim
- avenida Dois Rios, na altura do Sesi;
- rua Santos Araújo, após o cruzamento com a rua 21 de Abril
- trecho do viaduto João Paulo II até a ponte José Barros Lima
- avenida Mascarenhas de Moraes, no sentido Centro, próximo ao Juizado Especial.

Há relatos de alagamentos também na avenida Governador Carlos de Lima Cavalcanti, em Olinda, nas proximidades do Museu do Estado, no bairro das Graças, área central do Recife, na Estrada das Ubaias, em Casa Forte, na Zona Norte da capital pernambucana, e no bairro da Encruzilhada, também na Zona Norte.

Em Paulista, na RMR, a água invadiu casas e pontos comerciais no bairro de Arthur Lundgren I.

Em balanço preliminar, a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) informou que não houve registro de ocorrências graves no Estado em decorrência das fortes chuvas.

A Codecipe disse ainda que segue em alerta e monitora a situação em todo o Estado, através dos telefones (81) 3181-2490 e 199.

Onde mais choveu
De acordo com a Apac, o ponto do Estado onde mais choveu foi a região do Porto do Recife, com o registro de 86,2 milímetros. Em seguida, Maria Farinha, com 74,92 mm; e Vila Torres Galvão, com 70,04 mm - ambos bairros de Paulista.

Em Olinda, a maior precipitação ocorreu na região do bairro de Aguazinha, com 67,16 mm. 

Veja os números da Apac até 8h desta sexta-feira:
Porto (Recife) - 86,20 mm
Maria Farinha (Paulista) - 74,92 mm
Vila Torres Galvão (Paulista) - 70,04 mm
Aguazinha (Olinda) - 67,16 mm
Alto do Mandú (Recife) - 66,72 mm
Dois Unidos (Recife) - 64,38 mm
Morro da Conceição (Recife) - 63,55 mm
Santo Amaro (Recife) - 63,35 mm
Cruz de Rebouças (Igarassu) - 62,53 mm
Torreão (Recife) - 61,30 mm

Veja também

Jaboatão inicia agendamento para vacinação de pessoas a partir de 42 anos contra a Covid-19
Vacinação

Jaboatão inicia agendamento para vacinação de pessoas a partir de 42 anos contra a Covid-19

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)
Vacinas

Pernambuco recebe novo lote com vacinas da Pfizer nesta quinta-feira (24)