Chuveirões nas praias do Recife e de Olinda serão trocados em até oito meses

Devem ser instalados 150 chuveiros automáticos, que ficarão sob responsabilidade da Compesa

Folha FinançasFolha Finanças - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

Ainda para até o fim deste mês, a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco assegurou que será assinada a ordem de serviço para a instalação dos 150 chuveiros automáticos nas faixas de areia das praias do Recife e Região Metropolitana. Serão 110 na Capital e 40 em Olinda. Assinado o documento, a previsão de conclusão da obra é de oito meses. Após a entrega da obra, a Compesa ficará responsável pela gestão dos chuveiros. Os equipamentos serão utilizados por meio de cartões, disponibilizados em pontos de vendas que ainda serão definidos pela companhia.

Leia mais
Prefeitura anuncia padronização da orla de Boa Viagem para fevereiro

Embora ainda não tenha valor definido, a instituição adiantou que o custo será acessível à população. O projeto, de investimento orçado em R$ 2,3 milhões, faz parte do Prodetur, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A iniciativa atende a recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O órgão determinou a interdição imediata dos chuveiros, após pesquisadores da UFPE identificarem autocontaminação por coliformes fecais em 78 chuveirões.

Conforme adiantado pela Folha, o material dos equipamentos será de plástico resistente à maresia, com revestimento simulando a madeira. Para ter acesso ao banho, a pessoa deverá posicionar o cartão a uma distância de 3cm do sensor do chuveiro. "Os cartões vão funcionar como os (cartões) de passagem de ônibus. Assim, evitam-se manutenções constantes. Não terá mais fichas presas, como ocorria com os chuveiros antigos", comparou David Peixoto, um dos sócios da Tomus Soluções em Eletrônica e Telecomunicações LTDA, empresa vencedora da licitação.

Veja também

Fiocruz esclarece negociação de doses prontas da vacina de Oxford
Coronavírus

Fiocruz esclarece negociação de doses prontas da vacina de Oxford

Presidente da União Química diz que estudos da Sputnik V devem começar logo após aval da Anvisa
Vacina

Presidente da União Química diz que estudos da Sputnik V devem começar logo após aval da Anvisa