Saúde

Cientistas encontram novo tipo de ebola em morcegos que pode saltar para humanos

Pesquisadores já analisam possibilidades de tratamento para a possível doença

MorcegoMorcego - Foto: F.T. Mujires / AFP

Pesquisadores dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA encontraram em um morcego um novo tipo ebolavírus, chamado de vírus Bombali. A descoberta foi relatada em um estudo, ainda em revisão por pares, que foi submetido à revista científica Cell Press.

A preocupação dos cientistas se justifica porque os morcegos são hospedeiros de doenças que podem saltar de animais para humanos, o que é chamado de doença zoonótica.

Uma das principais teorias de surgimento da Covid-19 é que o coronavírus tenha passado de um morcego para humanos. Outro exemplo de doença zoonótica conhecida é a gripe suína.
 

Existem seis espécies conhecidas de ebolavirus, porém a mais conhecida é o vírus Ebola. Há 40 anos, o patógeno circula pela África Oriental e Central, provocando, de tempos em tempos, surtos que se mostram fatais quando ganham grande escala. Mas em 2014, o Ebola se tornou popular e matou milhares de pessoas.

Até dois terços dos infectados pelo Ebola entre 2014 e 2016 morreram da doença, e outros ebolavírus são igualmente mortais. Portanto, embora o vírus Bombali ainda não tenha chegado aos humanos, os pesquisadores queriam ter uma ideia de como poderíamos lidar com um surto se ele conseguisse eclodir.

Obviamente, a primeira coisa a verificar é se a doença pode realmente infectar humanos — caso contrário, não há necessidade de se preocupar — então os pesquisadores analisaram como o vírus Bombali interage com o sistema imunológico humano. Depois de isolar o vírus por meio de um processo de genética reversa, eles o expuseram a macrófagos humanos – glóbulos brancos que “comem” organismos invasores como vírus.

Veja também

Violência crescente no México: sete corpos são encontrados com sinais de violência no oeste do país
MÉXICO

Violência crescente no México: sete corpos são encontrados com sinais de violência no oeste do país

Milei abre frentes de conflito com sindicatos, movimentos sociais, Igreja e artistas
ARGENTINA

Milei abre frentes de conflito com sindicatos, movimentos sociais, Igreja e artistas