A-A+

Cientistas italianos buscam tratamento específico para coronavírus

Moradores de cidades do Norte estão em isolamento

Agentes de saúde na ItáliaAgentes de saúde na Itália - Foto: Giovanni ISOLINO / AFP

Alguns países da Europa registraram os primeiros casos do novo coronavírus. A situação mais grave continua a ser a da Itália, onde já morreram 17 pessoas e onde há mais de 600 infectados. As autoridades de saúde italianas fazem, nesta sexta-feira (28), uma atualização dos números do novo coronavírus.

Moradores de uma dezena de cidades no Norte de Itália estão em isolamento, mas também há pessoas infectadas no Sul. No entanto, começam a surgir progressos na investigação do novo vírus e no tratamento da doença.

Leia também:
Nigéria registra primeiro caso de coronavírus na África subsaariana
Até 70% da população global pode contrair coronavírus, diz Harvard
Novo coronavírus mata mais que o sarampo, mas menos que o ebola

Cientistas italianos conseguiram definir a espécie do novo coronavírus no país. Segundo matéria da RTP, a investigação vai permitir um tratamento mais especifico.

Até agora, 45 doentes italianos infectados pelo novo coronavírus foram tratados com base nessa investigação.

Lombardia
A região da Lombardia estabeleceu uma área de emergência de saúde - onde apareceu a maioria dos casos de infecções e onde 50 mil pessoas estão em quarentena.

Eles estão confinados há duas semanas em duas aldeias.

Veja também

Seguranças dão mata-leão em homem negro com bebê no metrô de SP
Violência

Seguranças dão mata-leão em homem negro com bebê no metrô de SP

Estudo do Butantan em Serrana, SP, mostra 99% de efetividade da CoronaVac
Vacina

Estudo do Butantan em Serrana, SP, mostra 99% de efetividade da CoronaVac