Cinco novos promotores de Justiça começam a trabalhar no caso Beatriz

Objetivo é reforçar as investigações do crime brutal que vitimou fatalmente a menina de 7 anos

Almir Rouche sobe ao palco às 20h acompanhado de orquestraAlmir Rouche sobe ao palco às 20h acompanhado de orquestra - Foto: Leo Motta/Folha de Pernambuco

Cinco promotores de Justiça começaram a trabalhar nesta segunda-feira (13), com o objetivo de reforçar as investigações do crime brutal que vitimou Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, de 7 anos. Eles são coordenados pelo promotor de Justiça Carlan Carlo da Silva.

A decisão partiu do procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra de Holanda, que designou o grupo de atuação na última sexta-feira (10). A determinação, no entanto, foi publicada no último sábado (11), no Diário Oficial do Estado. O objetivo é reunir esforços para esclarecer a morte da criança.

Crime

Após seis meses do crime que chocou o Estado e gerou diversas manifestações de moradores de Petrolina, no Sertão, e Juazeiro, na Bahia, uma nova prova vem ajudando nas investigações conduzidas pela Polícia Civil.

Um vídeo amador que mostra a parte interna da quadra do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora revela a presença de outro desconhecido próximo ao bebedouro onde Beatriz foi vista pela última vez. Completados seis meses de investigação, nenhum suspeito pelo crime foi preso, além disso, nenhuma autoria do assassinato foi apontada pela polícia.

Veja também

Faculdade nega vínculo descrito por Boulos ao explicar sua renda
Eleições SP

Faculdade nega vínculo descrito por Boulos ao explicar sua renda

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso
Covid-19

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso