Cipoma flagra crimes ambientais em Passarinho e Bonito

Em Bonito, empresa de engarrafamento de água jogava resíduos na mata; em Olinda, construções ilegais e lixo na mata do Passarinho

Em Passarinho, irregularidades, como construções ilegais e lixoEm Passarinho, irregularidades, como construções ilegais e lixo - Foto: Divulgação/Polícia Militar

Uma empresa de engarrafamento de água mineral foi flagrada lançando lixo, resíduos sólidos e detritos na Unidade de Conservação Permanente Mata da Chuva, em Bonito, no Agreste pernambucano. A gerente da empresa foi presa. A operação, divulgada neste sábado (27), ocorreu na sexta-feira (26), conduzida pela Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma).

O empreendimento também não possuía licença ambiental. A gerente foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil de Bezerros, onde foi autuada em flagrante, e neste sábado, será submetida à audiência de custódia.

Passarinho
Já em Passarinho, em Olinda, o flagrante foi de irregularidades, como construções ilegais e lixo, durante outra ação da Cipoma, também na sexta-feira. O local é uma Unidade de Conservação e foi vistoriado em parceria pelo Cipoma, Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e Prefeitura de Olinda.

Vários trechos da área de mais de 14 hectares de Mata Atlântica, que deveriam estar preservados, sofrem com construções indevidas de comércio e moradias. O local fica na bacia hidrográfica do Rio Beberibe e é considerado um grande pulmão da cidade de Olinda.

Segundo a Polícia Militar, os responsáveis serão identificados, localizados e punidos por prática de crime ambiental.

Veja também

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Coronavírus

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio
Coronavírus

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio