RIO DE JANEIRO

Circo Voador é interditado pelo Corpo de Bombeiros após dois anos sem documentos

Corporação intensificou a fiscalização de edificações contra incêndio e pânico no período do carnaval

Circo VoadorCirco Voador - Foto: Divulgação

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro interditou a casa de shows Circo Voador, na Lapa, Centro do Rio, no início da noite deste domingo, após a verificação de que faltam documentos para a operação regular do espaço. A casa tinha um evento marcado para esta noite, mas o Certificado de Vistoria Anual do estabelecimento, emitido pela Diretria Geral de Diversões Públicas (DGDP) do CBMERJ, está vencido desde março de 2020 e o empreendimento acabou interditado integralmente.

A corporação intensificou a fiscalização de edificações em aspectos relacionados à segurança contra incêndio e pânico, desde a última sexta-feira. O objetivo é assegurar a segurança da população que vai aproveitar o carnaval em locais que promovam festas e bailes. No auto de infração, o CBMERJ afirma que o empreendimento foi interditado integralmente "por reunir elementos que caracterizam perigo sério e iminente".

"Entendemos que o Circo Voador é um patrimônio cultural do Rio de Janeiro. Não é com alegria que adotamos essa medida, mas precisamos trabalhar preventivamente para evitar acidentes. Estamos disponíveis para orientar os administradores do espaço sobre os procedimentos que precisam ser feitos para regularização. Nesse momento, o local oferece riscos ao público e aos próprios artistas", afirmou Leandro Monteiro, secretário de defesa civil e comandante-geral do corpo de Bombeiros.

Estava marcado para esta noite a apresentação do DJ Sul-africano BLACK COFFEE, além do mexicano Saint Vie e outras cinco atrações nacionais. Os ingressos para a festa, com tudo liberado, estavam sendo vendidos no último lote com preços de R$ 650 até R$ 1.900. A festa que leva o nome "Body and Soul Carnival" tinha endereço secreto até alguns dias antes do evento. De acordo com fontes do Corpo de Bombeiros, a direção da casa de festas se recusou a receber o alto de interdição. Então, o comandante-geral dos bombeiros determinou que a Polícia Militar fosse acionada.

Essa não é a primeira vez que o Circo Voador é autuado por irregularidades. Em 2014, o Procon-RJ afirmou que o certificado do Corpo de Bombeiros e o alvará da Prefeitura estavam desatualizados. Os fiscais determinaram que o estabelecimento apresentasse os documentos atualizados em 24h, sob pena de interdição. A casa de shows também não tinha cartazes de proibição e orientação conforme determina o Procon.

Recentemente, o Circo Voador completou 40 anos. Fundado no dia 15 de janeiro de 1982, no Arpoador, ele se mudou para o Centro do Rio, onde permanece até hoje. A casa de show foi palco de mais de cinco mil shows e viu nascer estrelas da música brasileira como Blitz, Cássia Eller, entre outros.

O Circo, que ficou fechado de março de 2020 a outubro de 2021, vem retomando aos poucos  - após recente aumento de casos de Covid-19 — seus shows.

O Globo não conseguiu contato com a assessoria de imprensa do Circo Voador. A produção do evento afirmou que os fatos ainda estão sendo investigados e em breve deve emitir um parecer oficial sobre o caso.

Veja também

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais
CRIME

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve
EDUCAÇÃO

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve

Newsletter