Clima de Carnaval e apreensão em Olinda e no Recife

Brigas entre grupos rivais assustaram moradores e foliões. Vídeos das confusões foram enviados pelo WhatsApp. PM considerou fatos como "isolados"

Ladeiras olindenses lotadas de pessoas de todas as idadesLadeiras olindenses lotadas de pessoas de todas as idades - Foto: Leo Motta

O fim da tarde do último domingo (20) foi movimentado no Sítio Histórico de Olinda, na Região Metropolitana do Recife. Nas ladeiras, além do aglomerado comum do pe­­­­ríodo pré-carnavalesco, muitos foliões que retornavam das Virgens do Bairro Novo continuavam a programação. Por volta das 17h30, nos Quatro Cantos, um leitor do FolhaPE filmou uma confusão entre grupos rivais, logo foi contida pela Polícia Militar.

Também foram enviados para o WhatsApp do FolhaPE vídeos de confusões na avenida Beira Mar de Olinda, feitos de dentro de um prédio, e na avenida José Augustos Moreira, feito de dentro do Hospital Esperança. A Polícia Militar fez um comunicado classificando os episódios como "fatos isolados". 
Durante a passagem da reportagem pelas Praças do Carmo, São Pedro e rua Prudente de Moraes, já no início da noite, era possível ver policiais circulando nas ruas entre os foliões.
Mes­­­mo assim, por conta do grande número de visitantes, muitos foliões estavam apreensivos. “Vi algumas situações isoladas acontecendo, com gente correndo como se protegessem de algo. Mesmo assim, sempre havia a intervenção policial”, contou a estudante Milena Soares, 26, que circulava acompanhada de amigos.

De olho no aumento das vendas, o pipoqueiro Erlaender José da Silva, 38, não viu grandes acontecimentos na Cidade Alta, mas estava alerta com relação aos horários. “É um lugar para se brincar mais de dia. Depois das 19h, é tenso ficar por aí, principalmente para quem dá bobeira com os pertences”, reforçou.
Recife
Noite agitada também no Bairro do Recife, onde as ruas concentravam pessoas de todas as partes com a presença de alguns policiais. O clima, no entanto, foi mais tranquilo durante a circulação da nos­­­­sa equipe, por volta das 19h30, que passou pelas ruas do Bom Jesus, Dona Ma­­­ria César, Moeda e avenida Rio Branco. “Já vi muitas famílias e, até então, nenhuma confusão. Espero que seja assim no Carnaval”, comentou o restaurador Feli­­­pe Cavalcante, que levou a espo­­­sa e a filha de 1 ano para brincar.

Veja vídeos de confusões:

Veja também

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens
Caso Henry

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens

Covid-19: 1,5 milhão de brasileiros estão com segunda dose atrasada
Pandemia

Covid-19: 1,5 milhão de brasileiros estão com segunda dose atrasada