Com 26 blocos líricos, Aurora dos Carnavais desfila no Recife

Entre as agremiações que participaram do evento, estão os blocos da Saudade, das Flores, das Ilusões, Flor do Eucalipto, Utopia e Paixão, Seresteiros de Salgadinho e Flor da Lira de Olinda

Aurora dos CarnavaisAurora dos Carnavais - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Integrantes de 26 blocos líricos da Região Metropolitana do Recife, da Zona da Mata e do Agreste de Pernambuco participaram, na tarde deste domingo (28), do Aurora dos Carnavais. Em sua 19 edição, o evento teve concentração a partir das 15h, na altura do monumento Tortura Nunca Mais, na rua da Aurora, na área central do Recife, de onde o desfile de flabelos seguiu até o palco montado pela Prefeitura do Recife nas proximidades do cruzamento com a ponte do Limoeiro.

Leia também:
[Fotos] Olinda já é do Eu Acho é Pouco
[Galeria] Blocos líricos abrem série de Acertos de Marcha no Pátio de São Pedro


O desfile traz à memória o ritmo de antigos carnavais. Entre as agremiações que participaram do evento, estão os blocos da Saudade, das Flores, das Ilusões, Flor do Eucalipto, Utopia e Paixão, Seresteiros de Salgadinho e Flor da Lira de Olinda. "Estamos aqui celebrando mais um Carnaval e, nos próximos dias, teremos outras atividades que vão valorizar quem fez pela cultura em 2017", adiantou o presidente do Flor da Lira, Seronildo Guerra.

A aposentada Maria de Lourdes Silva, 68 anos, acompanha o evento desde a primeira edição. "Estar aqui é celebrar o saudosismo do Carnaval e, ao mesmo tempo, é um evento muito sadio. Sempre foi assim, desde o tempo de Romero [Amorim, compositor e idealizador do evento, morto em 2012]", declarou.

A festa deve terminar por volta das 22h. Equipes da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e da Polícia Militar acompanham o evento para garantir a mobilidade e segurança dos foliões.

Veja também

Homem é espancado por grupo de pessoas em confusão por som alto no Janga, em Paulista
Violência

Homem é espancado por grupo de pessoas em confusão por som alto no Janga, em Paulista

Letalidade menor da Covid-19 eleva dúvidas sobre confinamentos, diz epidemiologista
Entrevista

Letalidade menor da Covid-19 eleva dúvidas sobre confinamentos, diz epidemiologista