Recife

Com 4km de extensão, ciclovia da Agamenon Magalhães terá dois trechos e não afetará número de faixas

No trecho da Agamenon, ela será unidirecional. No trecho do viaduto Capitão Temudo, será bidirecional e terá área compartilhada com pedestre

Avenida Agamenon MagalhãesAvenida Agamenon Magalhães - Foto: Alexandre Aroeira/Arquivo Folha

O Recife passará a ter 97% da malha cicloviária conectada com a implantação da ciclovia da avenida Agamenon Magalhães. Com 4 km de extensão, e com trechos unidirecionais e bidirecionais, a obra ligará a Zona Norte à Zona Sul. O investimento previsto é da ordem de R $6,7 milhões, e o prazo para a entrega é de dez meses a partir do início da obra. Atualmente, o Recife tem 166 km totais de ciclovias. Com a obra, passará a ter 170 km. De acordo com o prefeito João Campos, a meta é chegar aos 250 km de malha cicloviária até 2024.

Secretário de Política Urbana e Licenciamento do Recife, Leonardo Bacelar explicou que o desafio de entrar nos grandes corredores da cidade com ciclovias é uma tendência salutar tanto para a cidade quanto para as pessoas. “As ciclovias são uma mudança de cultura, que atendem ao alto volume de ciclistas, conecta a cidade e preza pela redução de sinistros e acidentes com essas pessoas”, afirmou.

Já de acordo com a presidente da Autarquia de Trânsito e Transporte do Recife (CTTU), a implantação dessas ciclovias prezou pela permanência da faixa azul, já que o transporte público e coletivo continua sendo priorizado. "Para conceber essa possibilidade, houve um estreitamento das faixas de rolamento mais aproveitamento do espaço contido nas margens das vias", explicou Taciana. “A premissa principal foi a segurança viária, e a solução adotada garante a segurança viária para ciclistas, pedestres e transporte público”, emendou a presidente da autarquia.

Trechos da ciclovia

A ciclovia será dividida em dois trechos, cada um com aproximadamente 2km de extensão. O primeiro trecho, na Agamenon, é unidirecional, com uma faixa de três no sentido norte e outra faixa em direção ao sentido sul. Ela tem início na Rua Dr Leopoldo Lins, fazendo conexão com as ciclovias Graça Araújo e João de Barros, e vai até a Rua João Asfora. A faixa azul passa a ter 3,30m, e as de rolamento comuns passam a ter 2,90m. A ciclovia aproveitará as margens do canal, já que são pouco utilizadas por pedestres.
 
A conexão com a Zona Sul será através do segundo trecho dessa ciclovia, que passará pelo Viaduto Capitão Temudo. Próximo ao Hospital Português, será construído um novo pontilhão, que dará acesso à Joana Bezerra. No trecho entre Agamenon e Joana Bezerra, a ciclovia será bidirecional e terá área compartilhada com o pedestre.Ficará localizada à direita do viaduto, fazendo conexão com a ciclovia da Via Mangue. A continuidade da ciclovia segue em direção ao Cabanga, através da segunda agulha da Avenida Saturnino de Brito. 

Adaptação das vias

Atualmente, a avenida Agamenon Magalhães tem três faixas de rolamento, com 3,30m de largura cada, e a faixa azul, com 3,50m. A implantação da ciclovia com 3m de largura — sendo 2,80m útil e 0,20m ocupados por um buffer de segurança — será viabilizada sem a necessidade de diminuir a quantidade de faixas de rolamento, havendo apenas uma redução do seu comprimento. A faixa azul passa a ter 3,30m, e as de rolamento comuns passam a ter 2,90m. No trecho Capitão Temudo, a ciclovia terá 2,20m de comprimento útil para compartilhamento com o pedestre.

Veja também

Febre Oropouche: conheça os sintomas da doença que teve 1º caso confirmado no Rio
rio de janeiro

Febre Oropouche: conheça os sintomas da doença que teve 1º caso confirmado no Rio

Brasil repudia massacre de palestinos famintos: "situação intolerável"
guerra no oriente médio

Brasil repudia massacre de palestinos famintos: "situação intolerável"