Recife

Com volta às aulas, fluxo de carros aumenta, em média, 25%

Escolas particulares retomam as atividades nesta quinta-feira (1º). CTTU distribui 80 profissionais entre agentes e educadores para orientar os condutores

TrânsitoTrânsito - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Depois da rede pública, que retomou as atividades na semana passada, começa nesta quinta-feira (1º) o segundo semestre do ano letivo nas escolas particulares de Pernambuco. Na Região Metropolitana, cerca de 150 mil alunos de 500 unidades voltam à rotina de aulas, segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado (Sinepe). Com isso, o trânsito passa a ter 250 mil veículos a mais circulando pelas ruas e avenidas da cidade, aumentando o fluxo em torno de 25%.

De acordo com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), com o fim das férias escolares, o número de carros nos principais corredores viários, em média, pode passar de 1 milhão nos horários de pico. Por isso, a companhia vai distribuir 80 profissionais, entre agentes, educadores e artistas da Trupe da CTTU, para orientar os motoristas e fiscalizar os pontos de maior concentração de tráfego. Entre os locais mais afetados, estão a avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, e a Rua Padre Bernardino Pessoa, em Boa Viagem, onde estão localizados grandes colégios tradicionais.

Leia também:
Cerimônia de inauguração do ano letivo marca volta às aulas na Rede Estadual
O impacto da mobilidade no seu bolso
Plano Diretor do Recife: o desafio de integrar infraestrutura e mobilidade

O pedagogo da Divisão de Educação da autarquia, Francisco Irineu, diz que, com mais congestionamentos, é preciso ter paciência e lembra que a pressa pode provocar acidentes. “A rua é um espaço público que todas as pessoas usam. Elas podem estar dirigindo um carro ou uma motocicleta, mas todas precisam transitar”, afirma. Dessa forma, a atenção deve ser redobrada para não fazer parada em fila dupla nem estacionar em local proibido. As infrações, consideradas graves pelo Código Trânsito Brasileiro (CTB), preveem multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação. Além disso, o carro pode ser apreendido.

O pedagogo Francisco Irineu conta que já viu uma condutora parar no meio da avenida Rui Barbosa para deixar o filho na escola. “Ela ficou dentro do carro e a criança desceu sozinha. Isso é muito grave porque essa pessoa está dando para alguém em formação um exemplo de que não é preciso ter cuidado ou respeitar as leis de trânsito”, alerta. “Lá na frente, isso pode contribuir para o crescimento de uma pessoa não cidadã”.

Com o fim do período de férias, muita gente já espera enfrentar engarrafamento. A auxiliar administrativa Irani Silva, que passa todos os dias pela avenida Rui Barbosa, programou sair mais cedo de casa. Usuária de ônibus, ela mora em Casa Amarela, Zona Norte, e trabalha em uma construtora no bairro das Graças. “Fica tudo parado. Eu pego às 8h e, se eu sair antes das 7h, chego atrasada. Mas, durante as férias, posso sair até 7h30 que dá tempo”, relata.

O vendedor Fábio Silva, 37, necessita do carro para trabalhar e também sente a diferença. “Eu atendo vários clientes de diferentes rotas. Eu moro em Boa Viagem. Para chegar na Zona Norte, eu levo 15 minutos. Na hora do pico, 40, 50”, diz ele, que evita passar por locais perto de colégios. “Já vi pararem carros [em fila dupla], aquelas vans. Há excesso de abusos”, considera.

Veja também

Governo de SP assina contrato com Sinovac e prevê vacina para dezembro
coronavírus

Governo de SP assina contrato com Sinovac e prevê vacina para dezembro

Pesquisa comprova que Covid-19 é também doença vascular
coronavírus

Pesquisa comprova que Covid-19 é também doença vascular