Comerciantes afetados por incêndio na Feira da Sulanca terão linha de crédito

Governo do Estado irá disponibilizar em média R$ 15 mil para cada comerciante que perdeu barracas e produtos no incêndio

De acordo com a perícia, as instalações elétricas de 4 mil barracas não seguem normas da ABNTDe acordo com a perícia, as instalações elétricas de 4 mil barracas não seguem normas da ABNT - Foto: JORGE FARIAS/CORTESIA

Os quase 40 comerciantes que perderam suas bancas e produtos no incêndio que atingiu a Feira da Sulanca, em Caruaru, no Agreste do Estado, na noite da segunda-feira (6), terão direito a uma linha de crédito liberada pelo Governo de Pernambuco. Por meio da Agência de Fomento do Estado de Pernambuco (Agefepe), serão disponibilizados em média R$ 15 mil para quem se cadastrou junto à Prefeitura.

A decisão foi tomada após o governador Paulo Câmara conversar com o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes e com o presidente da Agefepe, Marcelo Barros. A linha de crédito terá juros de 0,55% ao mês, 12 meses para pagar e três de carência. “A ação será muito significativa para quem perdeu tudo”, declarou Alberes.

Leia também:
Incêndio atinge parte da Feira da Sulanca de Caruaru
Gambiarras podem justificar incêndio na Feira da Sulanca em Caruaru

Veja também

Pandemia desacelera, mas EUA não se dispõe a abrir fronteiras como a UE
Internacional

Pandemia desacelera, mas EUA não se dispõe a abrir fronteiras como a UE

Recife fará busca por quem ainda não tomou segunda dose de vacina contra a Covid-19
Imunização

Recife fará busca por quem ainda não tomou segunda dose de vacina contra a Covid-19