ITAPISSUMA

Comerciantes relatam desespero durante incêndio em Itapissuma. Prefeitura pagará auxílio

Mercado do Artesanato do município foi interditado

Mercado de Artesanato de Itapissuma está interditadoMercado de Artesanato de Itapissuma está interditado - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O Mercado do Artesanato de Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife, seguirá interditado após o incêndio que acometeu o equipamento cultural na última quarta-feira (13). Nesta quinta-feira (14), a equipe de reportagem da Folha de Pernambuco esteve no local e conversou com comerciantes do entorno que presenciaram desde o início e crescimento das chamas até a chegada do Corpo de Bombeiros.

Amaro Manoel da Silva, de 64 anos, feirante, almoçava com a esposa próximo ao pólo quando notou os primeiros indícios do fogo. “Estávamos eu e minha esposa almoçando e começou a chama do fogo. Começou bem fraquinha e depois ficou bem forte. E foi um desespero, era muita gente correndo”, contou.

O comerciante destacou que foram momentos de aflição tanto para quem também trabalha especificamente no espaço de artesanato, quanto para quem atua nos boxs adjacentes ao mercado: “Perderam tudo. Gente de dentro do mercado perdeu tudo. E de fora também. No desespero, saíram e quebraram freezer, arrebentaram porta, estragaram tudo, foi muito cruel”. 

Vendedora de frutas e verduras, Silvanita Freitas, de 58 anos, trabalha em frente ao local. “Esse incêndio foi uma tristeza para as pessoas, visitantes, todo mundo. Porque isso aqui é uma tradição pessoal e eu não tenho nem palavras para descrever. Aqui é um ponto de muitas coisas boas para o pessoal. Fica difícil, agora que está fechado. A gente passa, olha, e é só aquela tristeza”.

A casa de Seu Valdir de Assis e Antônia Maria fica ao lado do imóvel que abriga o mercado, justamente em frente à janela lateral de onde se viram as primeiras chamas. “Eu moro há 70 anos nessa casa, já vendi muito peixe nesse mercado, minha vida sempre foi pescaria. O  fogo começou ali mesmo, nessa janela”, disse o aposentado. “Nunca na minha vida eu vi uma coisa dessa, foi o maior desespero do mundo”, completou a esposa.

Servidor da Prefeitura de Itapissuma, o blogueiro José Aldo da Silva também esteve no local. “Tinham comentários no grupo [de aplicativo de mensagens] dizendo que havia fogo no Mercado de Artesanato, aí eu vim para cá. Quando eu cheguei aqui o fogo ainda estava iniciando e 20 minutos depois o fogo já havia crescido”, pontuou.

Lidiane Pereira, de 42 anos, é proprietária da Caldeirada da Lidiane, um dos restaurantes do polo gastronômico que funciona ao lado do mercado. Toda a área também precisou ser interditada e aguarda a conclusão do laudo técnico com ações de segurança, que, segundo a gestão municipal, deve ser concluído em até 15 dias. “Passamos dias de terror com o incêndio, mas graças a Deus, não fomos atingidos. Em breve devemos voltar com as nossas atividade”, frisou.

Plano de Ação da Prefeitura

A Prefeitura de Itapissuma divulgou, ontem, um plano de ações para minimizar os impactos  que serão gerados após o incêndio. De acordo com o órgão, os artesãos poderão divulgar e vender suas peças gratuitamente no Shopping de Igarassu e também serão realizadas feiras itinerantes à medida que novos artigos sejam produzidos. Também será disponibilizado auxílio financeiro para os artesãos e comerciantes do pólo da caldeirada. Veja abaixo:

Auxílio Financeiro para artesãos

Artesãos que faziam exposição de suas peças no Mercado e estavam frequentemente dentro do mercado, como única fonte de renda:  salário mínimo + ressarcimento do valor das peças perdidas e/ou avariadas.

Artesãos que apenas deixavam suas peças no Mercado: ressarcimento do valor das peças perdidas e/ou avariadas.

Auxílio Financeiro para comerciantes do polo gastronômico

Donos dos restaurantes do polo gastronômico: R$ 2.500,00 semanal
Funcionários da Caldeirada: R$ 200,00 semanal

Auxílio Financeiro para Ambulantes: R$ 200,00 semanal

Duração: o auxílio terá duração para os artesãos até que a reforma do Mercado do Artesanato seja concluída. Para os funcionários e donos de restaurantes na Caldeirada o auxílio irá durar até a conclusão do laudo técnico com as ações de segurança necessárias.

Documentação Necessária para solicitar o auxílio
A Secretaria Municipal de Turismo e o Conselho Municipal de Turismo afirmaram que irão realizar o cadastro das pessoas que trabalhavam na área da caldeirada. Para se cadastrar será preciso apresentar: CPF, RG e Comprovante de Residência.

 

 

Veja também

Pernambuco registra, nesta sexta-feira (20), quatro mortes e 60 casos de Covid-19
Coronavírus

Pernambuco registra, nesta sexta-feira (20), quatro mortes e 60 casos de Covid-19

Comunidade dos Viventes tem a atriz Grazi Massafera como embaixadora da sua nova campanha
Solidariedade

Comunidade dos Viventes tem a atriz Grazi Massafera como embaixadora da sua nova campanha