Tailândia

Comissão eleitoral tailandesa investiga ganhador das legislativas

Órgão determinará se Pita Limjaroenrat, do movimento Move Forward, será desqualificado para a disputa do cargo de primeiro ministro

Candidato a primeiro-ministro, Pita LimjaroenratCandidato a primeiro-ministro, Pita Limjaroenrat - Foto: AFP

A Comissão Eleitoral da Tailândia decidiu abrir uma investigação contra Pita Limjaroenrat, líder do partido pró-democracia vencedor das eleições legislativas de maio, por suspeitas de irregularidades, anunciou seu presidente, Ittiporn Boonprakong, nesta segunda-feira (12).

O órgão determinará se o jovem político, de 42 anos, do movimento Move Forward, na liderança para se tornar primeiro-ministro, será desqualificado, devido às ações que possui em um meio de comunicação.

"Há informação e provas suficientes para aprofundar a investigação sobre se Pita se qualifica para disputar a eleição", declarou Ittiporn Boonprakong.

"A comissão eleitoral criou um comitê de investigação", acrescentou.

O Código Eleitoral tailandês proíbe que os candidatos tenham ações em jornais, ou qualquer outro tipo de meio de comunicação em massa.

Pita Limjaroenrat explicou que herdou de seu pai ações da emissora de televisão iTV, que está inativa desde 2007.

Limjaroenrat pode enfrentar uma pena de até dez anos de prisão e a revogação de seu direito de voto por 20 anos.

Este anúncio afeta o Move Forward, que ainda está longe de chegar ao poder, apesar de uma vitória contundente nas urnas.

Este partido, representante das novas gerações, foi criado de surpresa e obteve o maior número de deputados no Parlamento, frente a outro peso pesado da oposição pró-democracia, o Pheu Thai.

Ambos os partidos uniram forças em uma coalizão que espera substituir os militares derrotados, que estão no poder desde o golpe de Estado de 2014.

Veja também

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens
FOLHA PET

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador
Tragédia

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador

Newsletter