Comissão repudia mortes na Funase

O Estado tem a obrigação de investigar as mortes de pessoas que se encontram sob sua custódia

Pernambuco Vai Mudar ficou sem um novo programa nesta noite (31)Pernambuco Vai Mudar ficou sem um novo programa nesta noite (31) - Foto: Pixabay

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos divulgou nota expressando sua preocupação com “atos de violência ocorridos em dois centros de detenção para adolescentes em Pernambuco”. Emitido do escritório da instituição em Washington, EUA, o texto faz referência às rebeliões nas unidades de Timbaúba e Caruaru da Funase quando 11 jovens morreram.

A nota relembra os casos e demonstra preocupação com a situação da Funase. “A Comissão observa com preocupação que os atos de violência objeto deste comunicado ocorreram num contexto de reiterados atos de violência em centros de detenção para adolescentes”, diz, acrescentando que “O Estado tem a obrigação de investigar as mortes de pessoas que se encontram sob sua custódia para estabelecer não só os responsáveis materiais pelos atos, mas também os autores”.

A nota foi recebida com respeito pelo membro do Gajop, Romero Sila. “elemento reforçador a todas as denúncias que temos feito”. Preocupados com a situação, membros do Conselho Nacional de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente começam hoje vistorias em unidades do Estado.

Veja também

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida
EUA

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp
Redes Sociais

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp